Ainda vale a pena investir na poupança?

Ainda vale a pena investir na poupança

Uma das notícias de principal destaque no mundo das finanças durante esta semana mexe diretamente com o bolso de grande parte dos investidores brasileiros. A poupança, considerada a mais popular aplicação do país, apresentou em novembro o pior rendimento desde 2003, perdendo para a inflação do período. Veja só: enquanto o rendimento da caderneta foi de 0,53%, o IPCA, índice que reflete o custo de vida para famílias com renda máxima de 40 salários mínimos, teve uma variação de 0,83%. E agora? Melhor deixar o dinheiro na poupança ou migrar para outro tipo de aplicação?

Segundo o educador financeiro Álvaro Modernell, apesar do resultado, a caderneta continua sendo uma boa alternativa, especialmente para o público com renda até quatro salários mínimos. "O rendimento de novembro pode ter sido ruim, mas não significa uma tendência. A captação de recursos pela poupança continua em alta, pois é uma aplicação que atrai o investidor pela sua extrema simplicidade e que continua apresentando muita credibilidade".

De fato, ainda em novembro, segundo o Banco Central, os depósitos na caderneta de poupança superaram as retiradas em R$ 4 bilhões.

Para quem possui maior renda e deseja outras alternativas de investimento, porém, Modernell sugere o Tesouro Direto. "Não é uma aplicação das mais populares, mas é segura e rende um pouco mais que a Poupança".

Outra opção, ele ressalta, são os fundos de previdência. "Neste caso, as aplicações visam o longo prazo, como aposentadoria, estudos. São recomendados para quem não tem pressa em sacar o dinheiro".


Seja lá qual for a alternativa escolhida pelo investidor, o educador financeiro ressalta: não se pode confundir "conta de poupança" com "fazer poupança".

"Ganhando ou não um alto salário, fazer poupança é algo saudável e necessário para a vida financeira de todas as pessoas, seja para investir, para criar uma reserva de emergência ou realizar um sonho futuro".

Por Adriana Cocco

Comente