Aproveite o 13º para quitar as dívidas!

74% dos brasileiros devem mesmo fazer proveito do salário extra para pagar dívidas ou amortizá-las

Foto - Reprodução

Boa parte dos trabalhadores começar a receber a primeira parcela do 13º salário já na segunda metade do mês de novembro. Quem está com as contas em dia pode aproveitar o dinheirinho extra e fazer algumas compras especiais para o Natal e Ano Novo. Já quem está atolado em dívidas neste final de ano, ou sabe que terá algumas contas a quitar no começo de 2016 pode aproveitar o 13º salário para saldar as pendências e ficar livre das dores de cabeça que elas proporcionam.


Mas sabemos que nem sempre é fácil abrir mão do consumismo e de realizar alguns sonhos, como trocar o guarda-roupa, adquirir um celular mais moderno, ou fazer aquela viagem dos sonhos em prol de acertar as contas e sair do vermelho. Por isso é preciso contar com dois fatores essenciais e não cair em tentação: organização e foco!

Coloque em uma planilha sua renda mensal e todos os seus gastos, não deixando nenhum detalhe de lado. Considere que suas dívidas mais caras podem não ser, necessariamente, as que têm um valor total mais alto. É preciso considerar também o quanto de juros você está pagando. 

E no caso de surgirem dúvidas e dificuldades para administrar todos os pagamentos, busca a ajuda de um profissional especialista no assunto. Seu gerente de banco também pode dar uma dica importante para dar o passo mais acertado. O ideal é quitar as aquelas dívidas com grandes chances de virar uma bola de neve, como as dívidas rotativas do cartão de crédito, que têm juros altíssimos.

Foto - Reprodução

Brasileiros devem mesmo priorizar o pagamento de dívidas

Segundo pesquisa da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), 74% dos brasileiros devem mesmo fazer proveito do salário extra para pagar dívidas ou amortizá-las, o que representa um aumento de 8,8% em relação ao ano passado. Do total de entrevistados,  8% vão aplicar parte do benefício ou vão utilizá-lo para as despesas já previstas no início de ano, incluindo IPVA, material escolar e IPTU. 

Por Renata Branco

Comente