Antecipar o Imposto de Renda é um bom negócio?

Um cuidado a ser tomado é que a declaração e todos os documentos devem estar corretos.
Antecipar o Imposto de Renda

Com o começo do ano vem contas e mais contas para serem quitadas: IPTU, IPVA, material escolar, contas da viagem de férias e assim vai. E a dor de cabeça pode aumentar se o valor total das dívidas ultrapassar a renda mensal. E se as contas do cartão de crédito trouxerem taxas ainda mais altas então nem se fala. Mas, o que fazer? Uma opção é pedir para o banco antecipar a restituição do imposto de renda.


O contribuinte do IR que está precisando quitar uma dívida, na qual os juros são muito altos, pode fazer uso desse recurso. "Os bancos concedem uma linha de crédito em que a garantia do recebimento é a restituição do imposto de renda, e o pagamento é feito diretamente pela Receita Federal na conta da instituição financeira onde a pessoa física antecipou o pagamento", explica o economista e professor de finanças Richard Rytenband.

O economista alerta que a antecipação da restituição do IR só deve ser solicitada apenas quando as taxas de juros do pedido forem menores do que as do débito a ser quitado. "A pessoa só vai ter vantagem se a aplicação deste recurso render mais que o tributo de juros cobrado pelo banco, ou for utilizado para pagar dívidas com elevadas taxas de juros", afirma.

Mas nem tudo são flores. Um cuidado a ser tomado é que a declaração e todos os documentos devem estar corretos. "Se algo estiver errado, o contribuinte não vai receber e restituição, o que pode acarretar em prejuízo e dívida junto è instituição que antecipou o tributo", afirma o contador e sócio administrador da Insigne Consultoria, Sérvulo Mendonça.

Outro problema que pode acontecer é o da malha fina, uma espécie de filtragem que a Receita Federal faz com as declarações de impostos que apresentam inconsistências e pendências, impossibilitando a restituição. Em alguns casos é exigida até uma investigação mais profunda. E quando as pendências são sanadas, o contribuinte pode ter que esperar até cinco anos para receber a restituição, sendo esse o prazo limite de pagamento.

Se você não tem dívida no cartão de crédito ou no cheque especial, mas precisa de dinheiro, o empréstimo consignado é uma boa resolução. "Oferece fatores de risco mais reduzidos, já que o pagamento é feito diretamente para a instituição financeira, sem a intermediação da pessoa que tomou o empréstimo ou fez a antecipação", comenta Rytenband.

O professor de finanças orienta também que, antes de tudo, devemos analisar a situação e ver qual a melhor saída. "Independente da modalidade de crédito, você deve sempre questionar como será a aplicação do recurso. Se ela vai gerar um retorno superior ao custo da dívida, antecipar a restituição do IR pode ser um bom negócio".

Por Flávia França (MBPress)

Comente