A poupança continua valendo a pena?

A poupança continua valendo a pena

Recentemente falou-se muito das mudanças estabelecidas pelo governo para remunerar as cadernetas de poupança e isso trouxe certa insegurança para muita gente. Sempre ouvimos falar que a poupança rendia mais que a inflação e, por uma alteração governamental ela iria render até um certo patamar, numa leitura rápida das novas regras. Este fato fez muitas pessoas repensarem a poupança como forma de investimento - e não cansamos de ouvir que há formas melhores e mais rentáveis, como ações e Tesouro Direto - daí fica a dúvida: poupança ainda é um bom negócio?

A resposta é sim, até porque as mudanças que foram propostas para remunerar esta modalidade de investimento em nada mexeram na rentabilidade - o resultado do investimento. A poupança tem o rendimento calculado pela taxa Selic, que é estabelecida pelo governo e regula contratos com juros, que neste momento tiveram redução bem significativa. Hoje se paga menos por um empréstimo que há seis meses, e esta redução foi possível por conta da taxa Selic atuando em valores mais baixos.

O dinheiro que colocamos na poupança rende porque é usado pelas instituições - bancos, financeiras - para contratos de empréstimos de diversos fins, com destaque para a casa própria. Portanto, quanto maior os juros, maior estará a referência da taxa Selic e maior a remuneração da poupança - mas o crescimento real do investimento será sempre acima da inflação medida; não pense que juros altos implicam em melhor resultado. Quando o juro é alto, como existia no tempo da inflação descontrolada, o ganho parecia impressionante porque corrigia as perdas da própria inflação. Atualmente trabalhamos com ganhos reais, que valem a pena investir.

Além desta dúvida quanto a rentabilidade, outra pergunta comum é se vale deixar a poupança de lado e partir para ações e outras modalidades. Bem, se o dinheiro será aplicado para ficar um bom tempo investido e num valor expressivo - mais de 50 mil reais e um período acima de três anos - vale pensar em outras alternativas sim. Lembro que a poupança é excelente maneira de investir porque propicia retiradas em períodos curtos de tempo e não tem incidência de impostos sobre o rendimento. As outras aplicações financeiras tem recolhimento de impostos, portanto fique alerta sobre isso ao vislumbrar rentabilidade já que uma parte irá para o Leão.


Poupar para uma viagem, a reforma da casa, o carro novo e tudo que se pretende adquirir usando o mínimo de juros e o máximo de economia é algo que deve fazer parte do cotidiano. Se ainda não começou a poupar, comece o quanto antes e saiba que mesmo com R$20 é possível abrir uma caderneta de poupança, que não requer depósito mínimo e tem pouca burocracia. O primeiro passo para investir vem da simples poupança, e dela outras modalidades para volumes maiores de dinheiro e prazo podem ser excelentes opções - mas sempre com uma poupança garantindo sua segurança e crescimento financeiro!

Suyen Miranda é publicitária e consultora de finanças pessoais, atuando no Brasil, Mercosul, Portugal e Angola. Já foi consumidora compulsiva voraz e tornou-se poupadora e empreendedora, e acredita que toda mulher pode e deve ser autônoma e independente financeiramente. suyen@suyenmiranda.com.br

Comente