10 passos para a independência financeira

Passos para a independência financeira

Para conquistar a independência financeira é preciso seguir alguns passos. Afinal, ninguém fica rindo do dia para a noite, a não ser que ganhe na Mega Sena. Como as chances são muito pequenas, as dicas do sócio da investPartner Investimentos, Marcelo Smarrito, parecem ser aliadas mais confiáveis do que aquela "fezinha". Confira:

1. Poupar sempre (todo o mês), desde o primeiro salário. E lembrar que antes tarde do que mais tarde, afinal de contas, os juros compostos são "o melhor amigo do homem". Eles fazem milagres;

2. Gastar menos do que ganha;

3. Acreditar que custos são igual unha, você tem sempre que cortar;

4. Pagar à vista é melhor do que pagar a prazo. Se está parcelado é porque poderia ser mais barato à vista. Não existe almoço de graça!

5. Nunca usar o crédito rotativo do cartão;

6. Nem o cheque especial;

7. Não acreditar em tudo que o seu gerente de banco fala, afinal de contas, ele tem metas agressivas de vendas de produtos;

8. Cuidado com as tarifas dos produtos de investimentos. Procure os produtos mais baratos. Lembre-se que todos os produtos financeiros custam dinheiro para o investidor;

9. Compre ações. Mas converse antes com o seu corretor;

10.Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém. Fique de olho nas notícias do Brasil e do mundo.

Além disso, o especialista mostra que o caminho da riqueza é muito mais simples do que muitos imaginam. Mas leia-se que ser rico não significa somente ter uma alta renda mensal, mas fazer bom uso do dinheiro, construir algo.

Antes de tudo, explica Smarrito, é preciso convencer a si de que é possível mudar a vida financeira para melhor. "Depois vem a necessidade de conhecer alguns conceitos financeiros básicos para a construção da riqueza. Compreender a diferença de balanço patrimonial e fluxo de caixa, por exemplo, é essencial - tais conceitos trazem consigo a essência do sucesso financeiro", explica.

Ele explica, também, que ter metas é fundamental para que você se motive a guardar dinheiro para conseguir viver dentro de suas possibilidades financeiras (padrão de vida), eliminando gastos supérfluos e o pagamento de juros de financiamentos e empréstimos. A palavra-chave é: disciplina.


Por fim, a sobra de dinheiro deve ser bem aplicada. "Isso pode ser feito investindo em negócio próprio, no mercado imobiliário ou em produtos financeiros, como fundos de investimentos, títulos do governo, ações de empresas etc", conclui.

Por Lívany Salles

Comente