10 dicas para economizar em casal

economia no casamento

Foto - Sean Justice/Corbis

Se já é difícil economizar sozinho, fica mais complicado ainda administrar carteiras diferentes de forma conjunta. Apesar de casais fazerem isso o tempo todo, não significa que fazem direito. A estimativa é de que atualmente 6 em cada 10 brasileiros estejam endividados, com o nome sujo, cheques devolvidos e o limite do cartão de crédito estourado. Mas, acredite, é possível tomar as rédeas da vida financeira conjugal.

Confira, a seguir, 10 dicas que vão te ajudar a economizar junto com seu companheiro!

1) Elimine cheque e cartão de crédito

Você já ouviu falar que o cartão de crédito é um dos grandes vilões de qualquer orçamento, não é mesmo? Ainda assim não abandona o bendito! Pois nossa primeira dica é para que você desapegue agora mesmo dele e do talão de cheque. Aprenda a guardar dinheiro para comprar as coisas à vista (e com desconto!). Além de eliminar uma conta mensal, você tem mais consciência daquilo que gasta, por ver as notinhas indo embora, e se livrará das temíveis taxas, que podem chegar a 400% ao ano.

2) Tenha o "dinheiro da semana"

Experimente sacar uma pequena quantia de dinheiro mensalmente que será destinada aos gastos do casal. Por exemplo, saque R$100, destine R$50 às compras de supermercado e os outros R$50 para comer fora no fim de semana ou fazer algum passeio (prefira os de entrada franca!). Isso colabora para que vocês não precisem fazer aquela enorme compra do mês, que pode acabar desperdiçando dinheiro com itens que não serão consumidos e estragarão.

3) Melhore sua alimentação

Falando em comida, que tal repensar seus hábitos alimentares? Chocolates, bolachas, fast food, salgadinhos, frituras, sobremesas calóricas... Além de prejudicial à saúde quando consumidas em excesso, todas essas coisas são caras e pesam bastante no orçamento final. Pratique o hábito de dar um passeio na feira, comprando mais verduras, frutas e legumes. Aposto que seu corpo e seu bolso agradecerão em coro!

4) Altere o perfil do seguro do carro

O preço do seguro varia bastante, principalmente em função do perfil do proprietário. As seguradoras entendem que solteiros saem mais, bebem mais e estão mais propensos a sofrerem acidentes (cobrando mais deles), enquanto pessoas casadas têm uma vida mais tranquila. Vale ligar para o seu corretor, avisar que não está mais solteiro e exigir seu desconto.

5) Fique atenta às promoções

Compras em varejo saem muito mais caras do que no atacado, certo? Aproveite esse pensamento e fique atenta às promoções que o comércio oferece para casais.

6) Abra uma conta conjunta

Esse tópico é tão polêmico quanto casamento com divisão de bens, mas pense que uma conta para o casal pode facilitar muita coisa. Por exemplo, além de criar um vínculo entre vocês, fazendo com que ambos estejam focados no mesmo objetivo, os sonhos serão alcançados mais facilmente. Ao invés de guardar R$ 400 por mês, vocês podem guardar o dobro e realizar aquela superviagem não em um ano, mas em seis meses.

7) Divida as tarefas

Não é saudável que apenas um parceiro fique responsável por todas as responsabilidades financeiras enquanto o outro só se preocupa em gastar. Estejam ambos na mesma sintonia e definam tarefas para cada um. Se um vai ao banco sacar o dinheiro e pagar as contas, o outro faz a planilha mensal e define quanto dinheiro pode ser gasto em cada área. Sem essa organização, um deixa para o outro fazer e tudo acaba negligenciado.

8) Investimento em conjunto

Ao exemplo da conta conjunta, quanto mais dinheiro uma pessoa tem, melhores são as opções que ela possui para fazer investimentos no mercado financeiro - aumentando os possíveis lucros. Analisem juntos qual a melhor opção de investimento para seus objetivos e concentrem as forças em alcançá-los. Seja na poupança ou em algum tipo de CDB, o investimento renderá melhor se vocês aplicarem de forma conjunta.

9) Não se esqueçam da independência

Apesar de as vidas do casal estarem entrelaçadas, isso não deve anular a individualidade de nenhum dos dois. Mesmo que desejem comprar um imóvel, ter filhos e fazer viagens juntos, continuem pensando em seus planos pessoais. Seja viajar com os amigos, realizar um sonho de consumo pessoal ou juntar dinheiro para a própria aposentadoria, não projete todas as suas finanças no parceiro porque (mesmo que ninguém queira) as coisas podem não durar para sempre.

10) Não trate as finanças como uma competição

Vida a dois não é carreira! Não adianta competir achando que quem ganha mais tem poder de decisão maior ou vice-versa. O ideal é o casal contribuir não com o mesmo valor, mas na mesma proporção. Por exemplo, se um ganha R$ 6 mil por mês e o outro R$1,2 mil, é claro que não poderão assumir um compromisso mensal no mesmo valor. Se cada um reservar 50% do que ganha para o orçamento conjunto, a conta fecha com justiça. No exemplo, o primeiro colaboraria com R$3 mil e o segundo com R$600.

Lidar com dinheiro não é nada fácil, mas não é impossível. O diálogo e a sinceridade devem permear todas as decisões. Com muito amor e organização, não haverá dívida que fique no caminho de vocês.

Por Juliany Bernardo (MBPress)

Comente