Setor de beleza exige profissionais cada vez mais antenados

Profissionalização no setor de beleza

Segundo Luciane Beltran, diretora-geral da Beauty Fair - Feira Internacional de Cosméticos e Beleza, para atender às exigências do consumidor e do próprio mercado, os interessados em trabalhar neste segmento têm procurado cursos específicos para cada área.

"Prova disso é que, atualmente, algumas das principais universidades do Brasil oferecem cursos superiores de formação para cabeleireiros. São relativamente novos, mas têm grande aceitação e procura", comenta. "Além disso, os profissionais do setor têm a consciência de que para se destacar neste mercado, precisam estar sempre à procura de atualização", lembra.

Os números comprovam que a estética tem conquistado um espaço cada vez maior na vida das mulheres. Segundo o panorama elaborado pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) em 2010, o setor cresceu 10,5% nos últimos 15 anos. Em 1996, o faturamento era de R$ 4,9 bilhões; em 2010 foi de R$ 27,3% bilhões.

Os dados da Abihpec revelam ainda que só no Brasil existem 1.659 empresas atuando no mercado de produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, sendo que mais de 1000 delas se concentram no Sudeste. Outro dado relevante é que o nosso país ocupa a terceira posição no segmento mundial.

Conforme explica Luciane, a beleza é cada vez mais vista como um ‘produto’ de consumo pela população brasileira. Isso se deve, em maior parte, ao aumento do poder aquisitivo do consumidor e ao fato de este mercado viver da renda e não depender da disponibilidade de crédito.

A diretora-geral lembra ainda que houve uma mudança de hábito, uma vez que as meninas de hoje já vão aos salões de beleza para cortar o cabelo e fazer as unhas. "Em comparação com as gerações anteriores, o consumo acontece muito mais cedo. Se antes íamos a estes locais apenas para arrumar o cabelo ou quando precisávamos nos preparar para uma ocasião especial, hoje as meninas vão simplesmente para manterem-se bonitas", analisa.

Por este motivo, as empresas investem constantemente em lançamentos e inovações para o mercado, a fim de combater a concorrência e conquistar mais consumidores. As ofertas e a variedade de itens estão cada dia mais evidentes, o que leva este segmento a ter tanto potencial de crescimento, sem previsão de saturação.


"Os profissionais podem apostar em qualquer um dos segmentos de beleza. Este setor se amplia num ritmo avassalador e os consumidores procuram procedimentos e tratamentos cada vez mais eficazes e modernos", ressalta a diretora-geral da Beauty Fair.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente