Responsabilidade Social e Ambiental

Responsabilidade Ambiental

Foto Divulgação

Até pouco tempo, a preocupação das empresas com o Meio Ambiente e a sociedade ainda era algo disperso e mal compreendido. Mas com o passar do tempo, a desigualdade social, as mudanças climáticas e a escassez de recursos naturais - fatores que contribuem para o aquecimento global - se tornaram temas de discussão dentro delas. As mesmas começaram a fabricar produtos verdes e exercer o consumo consciente.

O conceito de Responsabilidade Social e Ambiental não deve ser confundido com Filantropia, ações isoladas que beneficiam comunidades. Segundo Wilson da Costa Bueno, consultor em Comunicação Empresarial de empresas públicas e privadas, muitas vezes, na prática, as organizações pouco lucram e a comunidade nada usufrui em projetos. Por isso, uma boa gestão deve cumprir as funções de gerar lucro e manter um relacionamento sadio e proativo com a sociedade.

Para Bueno, este modelo deve conter projetos com perspectivas sustentáveis em longo prazo, ou seja, ter o papel claro do que as empresas vão desempenhar hoje e amanhã no mercado ou na sociedade.

Ao mesmo tempo em que a preocupação ambiental cresce nas empresas, os consumidores se interessam pelo assunto, além de terem dúvidas na hora de escolher as marcas ou produtos considerados “verdes”.

Rótulos difíceis de compreender ou mesmo a mistura de falsas promessas com informações reais deixam os consumidores confusos. A boa notícia é que já existem boas ferramentas na internet que avaliam as empresas e seus respectivos produtos.

O Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), lançou recentemente o Catálogo de Produtos e Serviços Sustentáveis. O site oferece sugestões de vários tipos de produtos, desde alimentos, geladeiras ou até artigos para escritórios. Se você procura um simples bloco de anotações, por exemplo, o serviço oferece marcas que produzem os caderninhos com papel reciclado e seus locais de vendas. Até agora, o instituto apenas utiliza os critérios ambientais para a avaliação, entre eles, eficiência energética, origem renovável do recurso, biodegradabilidade, gestão de resíduos e impactos globais.

Consumidores também conseguem informações no site do Instituto Akatu, que mantém o Centro de Referência Akatu pelo Consumo Consciente, uma espécie de catálogo com avaliações de várias empresas separadas por categorias de produtos. Mais uma forma de você saber como privilegiar as empresas preocupadas com o meio ambiente e praticar o consumo consciente!

Fonte -

Centro de Estudos em Sustentabilidade (FGV)Instituto Akatu

Por Juliana Lopes

Comente

Assuntos relacionados: consumo consciente carreira empresas