Relacionamento entre sócias

Relacionamento entre sócias

Há quatro anos, a jornalista e radialista Maria Cláudia Aravecchia Klein, de 36 anos, e a jornalista Mônica Luz, de 32 anos, decidiram que era hora de parar de reclamar dos empregos anteriores. Arregaçaram as mangas e juntas montaram as empresas Clube da Calcinha, com foco em chás de lingerie, e Clube Editorial, uma agência de Comunicação especializada em customização de revistas.

Para escolher a parceira, Maria Cláudia usou os requisitos amizade, afinidade, admiração e confiança. "Nós duas ralamos da mesma forma. Somos amigas dos tempos da faculdade de Jornalismo e madrinhas de casamento uma da outra", conta.

A jornalista e radialista afirma que nem tudo é um mar de rosas, mas que, sem sombra de dúvida, duas cabeças pensam melhor do que uma. "Discordarmos em vários aspectos, mas sempre nos apoiamos nas decisões individuais. Procuramos nos revezar quando temos algum compromisso fora da empresa relativo à vida familiar e social e dividimos algumas funções de forma que não haja sobrecarga para nenhuma das partes", explica Maria Cláudia. "Temos qualidades diferentes e objetivos em comum".

Pelo fato de as duas seguirem a mesma formação, às vezes, surge o medo de arriscar. "De vez em quando sentimos falta de um olhar de alguém da área de Ciências Exatas, mais voltado para o business", lamenta. E quando questionada sobre as vantagens de ter uma sócia do mesmo sexo, Maria Cláudia afirma: "Facilita na tomada de decisões, por querermos as mesmas coisas e termos interesses em comum. Mas, se fosse um homem teria um maior confronto de ideias, de pontos de vista... o que também seria benéfico!"


Felizmente, Maria Cláudia vê mais qualidades do que defeitos em sua parceira. E para auxiliar quem está em busca de um sócio para abrir um negócio, ela dá as dicas:

"Procure por uma pessoa que você admira e respeita e que trabalhe com a mesma intensidade do que você. Essa pessoa precisa somar, ter qualidades diferentes das suas, ser honesta, íntegra e com os mesmos objetivos. Não é um casamento, mas é um namoro sério. E para ser legal deve ser harmonioso".

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente