Quitutes goumet - lojas especializadas em um só doce ganha adeptos no Brasil

Quitutes goumet

Foto: Divulgação Maria Brigadeiro

As lojas especializadas na venda de apenas um doce definitivamente caíram no gosto dos brasileiros. A moda começou com as lojinhas que vendiam apenas os cupcakes. Tempo depois, os brigadeiros gourmet e suas variações conquistaram os consumidores.

Como é o caso da "Brigaderia", rede de lojas especializadas em brigadeiros com inúmeras versões, como na colher, bolinha, copinho e caçarola. Os sabores vão desde o tradicional até os mais exóticos, como caipirinha, macadâmia e amêndoas. Tudo isso acomodado em graciosas embalagens em papel cartão, madeira, acrílico, jornal reciclado, cerâmica, porcelana e até couro.

Mas o mercado internacional também tem atentado à expansão das lojinhas de doces no Brasil. Isso porque, devido à crise na economia que afeta os Estados Unidos e os países europeus, as redes de franquias especializadas nesse segmento encontraram no país um bom local para investir.

Prova disso é a Cold Stone Creamery, franquia especializada em sorvetes preparados sobre chapas geladas de metal, que chegou recentemente ao país. A primeira loja foi inaugurada no final de agosto, em Curitiba, Paraná. E de acordo com o Joaquim Fernandez, diretor de marketing da Cold Stone Brasil, a meta é inaugurar mais 30 unidades da rede dentro de quatro anos.

Mas, de fato, por que houve um aumento no número de lojas especializadas em quitutes gourmet? De acordo com Fernanda Cestari, consultora gastronômica, um dos motivos é que quando o empresário trabalha com apenas um produto, a lista de compras é reduzida e os desperdícios também diminuem.

Além disso, o Brasil é um país aberto a todos os tipos de gastronomia. "É notório, principalmente em São Paulo, que já foi considerada capital gastronômica do mundo. Os consumidores são ávidos por novidades", afirma Fernanda. "Os doces populares que nos trazem lembranças de infância foram elevados à categoria gourmet e com muitos atrativos que conquistam os consumidores", completa ela.

Para ela, a maneira como o produto é apresentado ao consumidor também é algo que impulsiona a compra. "Esses docinhos têm conquistado o público brasileiro por serem diferenciados e muito bem aparentados. Além disso, a decoração das lojas com muitos detalhes e caprichos, assim como as louças e embalagens utilizadas, chamam a atenção", descreve.

Entretanto, a consultora afirma que a gastronomia cresceu como um todo, não apenas no setor de guloseimas. "Os consumidores estão entendendo cada vez mais de vinho, café e de chocolate. Desse modo, estão mais exigentes com a qualidade dos produtos que consomem", relata ela.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente