Psicometria - matemática em busca do profissional ideal

Psicometria

O mercado de trabalho está cada vez mais criterioso. Além de competência e postura profissional, as empresas estão exigindo mais um requisito para conseguir a vaga desejada: é necessário ter o perfil da empresa, antes mesmo de começar a trabalhar. A nova triagem que as companhias estão utilizando para recrutar novos funcionários se baseia nos conceitos e dados da psicometria, a ciência que analisa as características psicológicas dentro de um ambiente organizacional.

“A psicometria consiste em analisar o tipo de perfil profissional que determinada empresa tem, qualificando os empregados como exemplares, medianos ou que deixam desejar”, explica Bárbara Demange, psicóloga organizacional da Da Consulting, em São Paulo. Após o término do estudo é possível identificar as características dos profissionais que compõem o corpo de funcionários. Em seguida, é preciso traçar um perfil do tipo de profissional que aquela empresa precisa e recrutar os interessados na vaga. Na técnica, as ferramentas estatísticas têm como objetivo eliminar o alto grau de subjetividade das avaliações comportamentais.

Ultimamente, os processos seletivos para grandes companhias vão além da entrevista com o possível futuro patrão e a dinâmica de grupo, onde o candidato fala sobre si mesmo. E o que se encontra são testes cada vez mais específicos, com o intuito de avaliar o tipo de comportamento que determinada pessoa apresenta no ambiente de trabalho, para assim, se for aprovada no processo seletivo, ter a chance de encaminhá-la para uma função que seja conivente com seu modo de trabalhar.

Para identificar as características da personalidade e suas melhores qualidades profissionais, a psicometria faz uso de testes que evidenciam o que cada um tem para oferecer a uma empresa. “Utilizamos questionários de perfil profissional e exercícios de simulação onde o profissional é colocado em situações parecidas com as que encontrará se assumir o cargo, teste de motivação, raciocínio lógico, dinâmicas e entrevistas”, lista a psicóloga organizacional. Ela explica que a bateria destaca o perfil dos interessados, como até que ponto vai sua habilidade para lidar com pressão, quais critérios analisa em uma situação de decisão, como resolve problemas cotidianos, em quanto tempo faz seu trabalho com excelência, entre outras.


Vale lembrar que as provas são feitas com embasamento científico e tem como objetivo único identificar as características da personalidade do candidato para checar se está apto para a empresa. “Não temos interesse em invadir a vida pessoal, isso é anti-ético e contra a lei, nosso trabalho é unicamente para fins seletivos”, ressalta.

Logicamente existem os requisitos básicos que ajudam o candidato a ser selecionado para uma vaga, como ter inteligência emocional, pontualidade, boa apresentação, boa articulação das palavras, conhecimentos em informática e em outras línguas. Mas existem cargos que precisam de pessoas com características ímpares. Bárbara exemplifica dizendo que se uma empresa que está recrutando um diretor financeiro, talvez precise de uma pessoa que, dentre as suas qualidades, tenha espírito de liderança e saiba tomar decisões imediatas. Se for para uma vaga no departamento administrativo, é possível que precise de um funcionário cauteloso e que analise os fatos com calma para depois decidir, por exemplo.

A matemática, a psicologia e a estatística se uniram para compor a psicometria e aperfeiçoar o modo de recrutamento de funcionários de companhias que tem grande representatividade como Petrobrás, Contax, Volvo, Telefônica e muitas outras. Não há como traçar o perfil do trabalhador ideal, mesmo por que as empresas não têm valores nem missões iguais. Mas na lógica dos testes, espírito empreendedor e vontade de trabalhar já são bons passos na estrada do sucesso.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente