Projeto Cozinha-Escola

Projeto CozinhaEscola

Projeto Cozinha-Escola

Foto Divulgação

Em um país de desigualdades tão grandes como o nosso, qualquer iniciativa que ajude os jovens menos favorecidos a conseguir formação profissional e encontrar espaço no mercado de trabalho é louvável!

O projeto Cozinha-Escola, por exemplo, esse ano capacita jovens da favela de Paraisópolis, na zona Sul de São Paulo, para a profissão de auxiliares de cozinha.

"Um dos diferenciais do Projeto Cozinha Escola é que ele se insere no movimento de transformação da profissão de cozinheiro em um ofício digno e de muita importância", afirma o chef Celso Vieira Pinto, idealizador do projeto, juntamente com a socióloga e gestora cultural Maria Regina Vieira Pinto, do IDHS - Instituto para o Desenvolvimento Humano e Sustentável.

O Cozinha Escola é um projeto que vai até o público. Sua implantação não requer espaços grandiosos. “Qualquer ambiente que possua uma medida de pelo menos 25 m² já é suficiente para a montagem da cozinha pedagógica e aplicação do curso", conta o chef.

"Considerando as dimensões do Brasil, o fato de levarmos a escola de cozinha até o local onde existe demanda, faz o projeto ter uma eficácia muito maior. Além disso, para cada nova localidade onde montamos o curso, o manual é adaptado às tradições e particularidades regionais.", complementa o chef.

Os jovens passam por 240 horas/aula e recebem uma ajuda de custo de meio salário mínimo. Também ocorrem, durante o processo de formação, visitas técnicas a grandes mercados e negócios de alimentação. Nas aulas teóricas são estudados temas como Ética e Postura Profissional, higiene e saúde, manipulação de todos os tipos de alimentos, noções de confeitaria, panificação e pizzaria básicas, além de noções de serviço de atendimento ao cliente no salão.

O interessante é que o projeto Cozinha-Escola é uma ação contínua, pois a infra-estrutura da cozinha industrial montada pela patrocinadora fica no local e um instrutor devidamente capacitado fica responsável por dar continuidade às aulas para novas turmas. O curso tem todo o seu conteúdo voltado ao trabalho em serviços de alimentação e está adaptado ao novo código da ANVISA.

A primeira edição do projeto aconteceu na Vila de Paranapiacaba. Essa edição, em Paraisópolis, tem patrocínio da Fundação Nestlé, que desenvolve o Projeto Nutrir, um programa de educação alimentar que contribui para combater a desnutrição e obesidade de crianças e adolescentes em todo o Brasil, capacitando educadores e merendeiras de escolas públicas.

O grande teste dos alunos de Paraisópolis aconteceu recentemente, durante a formatura da Escola do Povo - entidade de alfabetização de adultos de Paraisópolis. Sob a coordenação do chefe Celso Vieira Pinto, os jovens foram os responsáveis pela execução do cardápio servido no coquetel para 700 convidados, no Jockey Club, cedido por Charlô Whately.

Por Karina Conde

Comente