Profissional precavido

Profissional precavido

No ambiente corporativo, ganha mais pontos - e menos dor de cabeça - quem for precavido. Ser o cuidadoso da roda pode até dar aquela impressão de quem supervaloriza situações. Mas não tenha medo. Profissional prevenido quase vale por dois.

Para saber o que realmente importa nesse mundo, o Vila Sucesso foi perguntar para Fádua Sleiman, consultora empresarial e autora do livro “Marketing de B.a.t.o.m” (Matrix Editora, 2008), que tipo de cuidados são imprescindíveis. Segundo ela, é bom estar consciente de que a mudança nas empresas é constante, principalmente porque acima dos colaboradores está a receita. “Um bom profissional deve estar atento ao crescimento da empresa e dedicar maior tempo a conhecê-la e a contribuir para tanto”, indica.

E, de qualquer maneira, é preciso estar preparado, para um momento de demissão por exemplo. É importante lembrar que as pessoas estão nas empresas e não “são” a própria empresa - e a qualquer momento, podem ser substituídas. “Todo profissional deve estar abertos às inovações tecnológicas, investir em educação continuada e não somente no expertise de sua área”, sugere Fádua.

No caso de uma demissão, por exemplo, é preciso saber calcular quanto tempo se pode ficar desempregado - e saber garantir uma segurança relativa, mesmo sem trabalho. Fádua ensina a fazer a conta que pode tranquilizar os dias em que o desespero atormenta. “É preciso fazer um levantamento do gasto mensal básico e levar em conta que a média da busca de um novo emprego é de seis meses. O ideal é fazer uma poupança com o valor equivalente”, ensina. Ter um parceiro, esposa, marido ou irmãos que possam auxiliar também pode entrar na conta. Se desfazer de imóveis, em caso de necessidade, também é uma saída. “Mas fuja dos bancos e dos agiotas”, alerta a consultora.

Ela diz ainda que ‘networking’ ou rede de relacionamentos, é a moeda de troca do momento. “Um networking eficaz demanda ter no mínimo 10 novos conhecimentos na semana, não apenas na troca de cartões, mas fidelização efetiva, com ligações e textos via e-mail, por exemplo.”

Outro ingrediente da receita da prevenção é manter um plano B sempre ativo. Elaborar esses planos não significa ser derrotista ou pessimista, e sim estar apto a gerenciar a própria expectativa e possíveis frustrações.


Para garantir uma segurança relativa quanto à profissão ou ao sucesso profissional, é importante sempre se fazer perguntas simples, que podem clarificar ideias e, às vezes, dar até um novo rumo à carreira. Essas mesmas perguntas - qual meu projeto de vida pessoal e plano de emergência familiar? ou quais as expectativas de futuro e com relação à empresa? - podem ser usadas num processo de seleção, e ajudam a avaliar o potencial do candidato. Se fazer essas perguntas de vez em quando pode ajudar você a avaliar a quantas anda o profissional que mora aí dentro.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente