Professora larga emprego para jogar Pokémon Go como profissão

Ela largou tudo para caçar Pokémons e garante: dá para viver só de Pokémon Go
pokémon go Sophia Pedraza

Foto: Reprodução/Metro

Nós já falamos aqui sobre a febre do Pokemón Go. O jogo de realidade aumentada conquistou os jovens brasileiros antes mesmo de estar disponível no Brasil. Seu sucesso é tanto que no Reino Unido, por exemplo, o jogo já virou negócio! Duvida? A prova viva disso é a britânica Sophia Pedraza, de 26 anos.


Ela largou o emprego como professora para se tornar uma jogadora profissional do game. De acordo com reportagem o jornal inglês "Metro", ela ganhava 2 mil libras (mais de R$ 8,6 mil) por mês dando aulas particulares de matemática, inglês e música. Porém o seu esquema de trabalho vai mudar pois a ideia agora é evoluir contas no game e vendê-las na internet. 

pokémon go

Lançado em 36 países e em Hong Kong desde o começo do mês, o jogo ainda não chegou ao Brasil e não tem previsão de lançamento. Foto: Reprodução

Pedraza conta que, no site de leilões virtuais eBay, um personagem evoluído até o nível 20 é vendido por mil libras (mais de R$ 4,3 mil). "Se você dedicar seu tempo você pode chegar ao nível 15 depois de um dia ou dois. Eu planejo comprar mais smartphones para jogar várias contas de uma só vez", contou ela ao jornal. 

pokémon go Sophia Pedraza

Foto: Reprodução/Metro

Ela explica que joga mais de 10 horas por dia. "Alguns dias eu jogo 18 horas em um só dia porque você pode jogar todo o tempo, até quando está com amigos em bares ou clubes", conta. Parece loucura, não é? Mas segundo ela, tudo não passa de uma oportunidade que logo será reconhecida. "Eu baixei o jogo e percebi que há dinheiro a ser feito", diz.

Com um segundo diploma em advogacia, a professora defende seus planos com unhas e dentes."Eu vou fazer isso até quando render dinheiro e se não der eu sempre posso voltar a lecionar", argumenta. " Minha mãe pensa que eu sou louca, mas ela vai mudar de ideia".

Loucura ou oportunidade de negócio? Você largaria seu emprego só para jogar Pokémon Go?

Por Thamirys Teixeira

Comente