Proatividade. Afinal, o que é isso?

Gosto deste conceito, proatividade, porque ele combina uma série de características essenciais para o profissional moderno. Mas talvez por ser tão completo, o conceito nem sempre é bem compreendido pela maioria das pessoas, que frequentemente o confundem com iniciativa.

O significado de proatividade, tal como aparece no dicionário, é a capacidade de se antecipar a situações, necessidades e problemas futuros. Isso significa, para começar, que a pessoa proativa tem senso de prontidão.

Antes de participar de uma reunião, ela prevê os questionamentos que as pessoas poderão fazer e levanta as informações necessárias para respondê-los. Antes que o cliente ligue para reclamar que uma entrega está atrasada, ela o contata e renegocia o prazo. Antes que a chefia lhe pergunte sobre o andamento de um projeto, ela produz um relatório para colocá-la a par da situação.

Ligada em tudo o que acontece em sua volta, é capaz de analisar o contexto das situações e imaginar cenários futuros, o que lhe permite tomar as atitudes que cabem em cada ocasião. É a partir da prontidão, portanto, que a pessoa proativa age. A capacidade de iniciativa, sem dúvida, é parte do comportamento proativo, mas está baseada na perspicácia e em um apurado senso de urgência.

Em boa parte das vezes, proatividade implica agilidade, pois de nada adiantaria antever o problema e tomar uma iniciativa se não houvesse rapidez na ação. O proativo, portanto, é o oposto do procrastinador: não empurra com a barriga, e sim tenta resolver as coisas o mais depressa possível.

Duas outras características importantes são: responsabilidade e consistência. Sem elas, o senso de urgência e a agilidade do proativo poderiam gerar ações afobadas, estabanadas até. Mas, como ele é um sujeito responsável, trata de encaminhar as coisas com o cuidado necessário e no tempo certo, sem precipitação. E, como tem consistência, suas atitudes são apropriadas, firmes, adequadas à realidade.

Prontidão, antecipação, perspicácia, senso de urgência, iniciativa, agilidade, responsabilidade e consistência estão implícitos no conceito proatividade. Falta falar de mais um: comprometimento, pois uma pessoa que tem todas essas características só pode mesmo ser profundamente comprometida com o que faz e com a empresa que trabalha, não é?

* Trecho do livro de Leila Navarro: “ O que a universidade não ensina e o mercado de trabalho exige”, da Coleção Sua Carreira / Seu Sucesso (Editora Saraiva) Colunista do Vila Sucesso e Vila Equilíbrio, Leila Navarro é palestrante motivacional e comportamental, além de ser empresária e Presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Capital Humano.

Comente