Período de experiência - como agir?

Período de experiência  como agir

Emprego novo: novas expectativas e aquele tradicional friozinho na barriga. Ainda mais quando passamos por um período de experiência e não sabemos como nos comportar. É justamente nesta fase que a empresa faz mais exigências dos seus colaboradores, visando observar se o mesmo é compatível para a vaga.

Essa supervisão pode gerar muita apreensão no novo funcionário. E para conseguir passar por esta fase sem sustos, confira as dicas da Ana Claudia Rosa, consultora de RH da Catho Online.

O que é importante saber a respeito do lugar onde você está trabalhando?

- foque no crescimento profissional;

- conheça os processos da organização;

- entenda e adapte-se à cultura, normas e procedimentos da empresa;

- entenda como funciona o ambiente corporativo e a rotina da empresa;

- pergunte em caso de dificuldades

- troque ideias com seus colegas de trabalho e gestor.

Como você deve se comportar dentro da empresa?

- Seja bem-humorado;

- Evite conflitos;

- Aceite que se trata de um momento de adaptação;

- Conheça as pessoas e permita que elas te conheçam;

- Seja disponível e acessível;

- Pesquise o máximo de informações possíveis sobre a atividade que irá executar e sobre a empresa em que vai trabalhar;

- Procure saber exatamente o que esperam de você como profissional;

- Não tenha medo de tirar as suas dúvidas;

- Seja proativo;

- Seja pontual;

- Tenha ética;

- Seja flexível.

Sabendo e praticando isso, você já pode saber dos seus direitos e exigi-los quando for necessário. Em geral um funcionário em período de experiência tem direito a benefícios como VT e VR e outros estipulados por exclusiva liberalidade da empresa.

"No caso de rescisão de contrato por parte do empregador, ele terá o direito de receber os dias trabalhados, férias proporcionais mais 1/3 constitucional e o 13º salário proporcional ao tempo trabalhado e FGTS (sem multa de 40%) sobre essas verbas," diz Ana Claudia.


Mesmo assim, a empresa pode cobrar do funcionário, mesmo que seja apenas experiência. "Se for o trabalhador que desejar deixar o emprego durante o contrato de experiência, ele deve, na medida do possível, aguardar até o encerramento do período estipulado. Neste caso, o trabalhador não terá de cumprir o aviso prévio e receberá, além dos dias trabalhados, o 13º salário proporcional. Se não for possível ao trabalhador esperar o término do contrato, ele estará sujeito à mesma regra do empregador, isto é, deverá pagar ao empregador 50% dos dias que faltarem para o término de seu contrato, que será descontado dos dias trabalhados e do 13º proporcional, conforme o artigo 481 da CLT.", conclui a consultora.

Por Bárbara Ariola (MBPress)

Comente