Pequena notável do Kung Fu

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Pequena notável do Kung Fu

Foto Acervo pessoal

Ela nocauteou o preconceito e, com determinação, conseguiu a vitória. Isadora Parisotto, 21 anos, é um misto de meiguice juvenil com atitude e vontade de conseguir sempre mais. Entretanto, ela não é apenas uma menina simpática - e sim um exemplo de força (e que força) e dedicação. Isadora é faixa preta e professora de kung fu.

Ela conta que sua trajetória nessa arte marcial começou cedo, aos 6 anos idade. “Minha mãe me colocou para fazer aulas para acompanhar meu irmão. No começo, eu não tinha muita noção do que o kung fu poderia me proporcionar, mas hoje é meu trabalho e minha paixão”. Isadora lembra que teve de treinar muito para chegar onde está hoje. E não se acomoda com a graduação que possui - quer continuar evoluindo no kung fu.

Isadora já conquistou muitos títulos no kung fu, inclusive o Campeonato Mundial de Kathis, em 2003. Sua participação no campeonato foi possível graças à boa atuação nos campeonatos paulista e nacional.

Mas não apenas de vitórias e glória é feita a vida da uma lutadora. Isadora conta que já sofreu preconceito: por ser mulher e por ser pequena - tem apenas 1,50 metro. “Uma vez quando fui mostrar a um aluno iniciante os movimentos da aula, ele me olhou com cara de desprezo. Provavelmente achou que eu não era capaz. Não me importei e continuei ensinando os movimentos. No final da aula ele veio tirar dúvidas comigo de como deveria se movimentar”.

A atleta conta que conquistou o respeito e a admiração não apenas de seus alunos como também de praticantes de outras academias. E se orgulha ao dizer que diversas vezes as pessoas vêm conversar e tirar fotos com ela, devido a sua trajetória na modalidade.

Quando não está treinando ou dando aulas, Isadora divide o tempo entre atividades da faculdade de Educação Física, estágios e bons momentos com os amigos. O kung fu não é a única atividade que Isadora pratica. Ela adora jogar futebol e já pensou em se inscrever em clubes. “Hoje jogo por diversão com algumas meninas que estudaram comigo, mas já pensei em ser profissional”.

Com tanta dedicação aos esportes, será que sobra tempo para cuidar da aparência? Sobra sim. Isadora é vaidosa e gosta de estar bonita. Entre seus rituais de beleza está a maquiagem, o secador de cabelo e o salto alto.

A pequena atleta jogou as cartilhas de conduta fora e mostra que mulher não é sexo frágil. Ela é a prova de que elas podem fazer muitas coisas que os homens fazem e, mesmo assim, serem femininas e graciosas. Machistas de plantão, cuidado com o que falam. Essa e outras super mulheres representam com grande estilo (e força nos braços) a ala das belas de atitude.

Instituto de Kung Fu Shaolin - Tel.: (11) 3816-0848

Por Cínthya Dávila (MBPress)

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente