O que você quer ser quando crescer?

O maior desafio da minha carreira é também o meu maior diferencial: "entreter a fim de ensinar e não ensinar para entreter", como já dizia Walt Disney. Pois, para recriar aprendizados e conceitos nas pessoas eu me utilizo do humor, da irreverência e da surpresa.

Li uma entrevista com uma atriz americana, Goldie Hawn, com a qual me identifico muito, pois ela sempre interpreta filmes que passam mensagens com muito humor. Pois bem, nessa entrevista ela dizia que aos 10 anos de idade, quando alguém lhe perguntava o que ela queria ser quando crescesse, respondia: "Quero ser feliz!". E ela completou dizendo que os adultos lhe olhavam estarrecidos, como se Goldie não entendesse a pergunta, e a questionavam novamente, se queria ser bailarina ou atriz... e ela continuava a responder: "Quero ser feliz!"

Goldie explicou que naquele momento a vida para ela era muito divertida, e ela não conseguia imaginar uma profissão que pudesse lhe proporcionar a mesma sensação de felicidade, de explosão e de exuberância que a vida lhe dava. Coisas de Goldie...

Depois de ler estas palavras entendi porque realmente sou fã dela. Temos muito em comum: nossa criança interior, livre! Sem contar que também adoro essa sensação, essa energia, que há na vida! Costumo dizer que se fosse profissional da área de Recursos Humanos de uma empresa, e responsável pelo departamento de Recrutamento e Seleção, a primeira coisa que observaria em um entrevistado seria sua expressão: se ele tivesse "cara de orgasmo" seria contratado, caso contrário cairia fora. Claro que essa "cara de orgasmo" está no sentido Reicheano...

Acredito que com o tempo começamos a perceber que a felicidade não é algo muito fácil de mantermos por anos e anos. Creio que seja por isso, que Goldie Hawn sente-se como as crianças. Pois, segundo pesquisas, uma criança sorri 400 vezes por dia enquanto um adulto sorri apenas 15. Mas para onde vai o prazer pela vida? Por que um adulto sorri tão pouco? Como diz meu amigo Hiroshi: "Criança vem de criar, e adulto vem de adulterar."

Mas como me tornar um adulto sem adulterar essa criança interior, ou seja, sem adulterar nossa essência? Bom, quando eu era criança e me perguntavam o que eu queria ser quando crescesse, eu respondia: "Quero ser médica para tirar a dor das pessoas". De uma certa maneira é o que eu fiz nas minhas quatro carreiras profissionais até hoje.

Minha primeira carreira foi atuar como fisioterapeuta (minha formação) em uma UTI. Na segunda, foi dirigir uma Clínica de Fisioterapia. Na minha terceira carreira atuava com o método Rolf de Integração Estrutural, e na minha atual carreira, sou palestrante motivacional. Se pararmos para refletir um pouco: penso que continuo tirando a dor das pessoas.

Acredito que o sinônimo de felicidade na idade adulta é a relevância. E as pessoas que sentem relevância em sua carreira profissional, estas sim, é que são mais felizes, têm mais possibilidades de sucesso e realização, são mais saudáveis, tomam decisões mais rapidamente e sorriem como as crianças: 400 vezes por dia!

No livro "As Sete Leis Espirituais do Sucesso", que para mim é o manual do saber viver de uma maneira simples e prática, quase como os dez mandamentos da lei de Deus, o autor Deepak Chopra diz que quando você souber responder o que veio fazer nesta vida, qual o sentido de sua existência, daí sim você começa a viver de verdade. Pois, é deste ponto de vista que você entende o que é sentir o Universo conspirando a seu favor, a fazer parte da famosa "Conspiração Aquariana", de Marilyn Ferguson. Aliás, este é um outro título que vale a pena.

Como anda seu sorriso? Repare em você:

1) sorri mais de 15 vezes por dia

2) se pega sorrindo sozinha (o)

3) se pega falando sozinha (o)

4) se considera a melhor companhia para si mesma (o) (poderosa auto-estima)

5) adora gente

6) adora a natureza

7) adora aprender

8) é curiosa (o)

9) sente relevância em sua carreira

10) lembra dos seus sonhos, pelo menos uma vez por semana


Se você respondeu sim a mais de cinco destas perguntas, você é uma pessoa que tira da vida esse maravilhoso sentimento de explosão. E se respondeu sim a todas, você é demais, você é uma das pessoas proprietárias deste sentimento de plenitude e energia que a vida nos proporciona!

Colunista do Vila Sucesso e Vila Equilíbrio, Leila Navarro é palestrante motivacional e comportamental, além de ser empresária e Presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Capital Humano.

Comente