O marketing pessoal cria uma torcida pelo seu sucesso

Como é o "bom dia" que você recebe todas as manhãs, ao chegar no escritório: sonoro e acompanhado de sorrisos ou quase inaudível? Seus clientes vivem convidando você para almoçar ou costumam tratar de negócios em reuniões rápidas? Você sente que as pessoas à sua volta torcem pelo seu sucesso?

Responda sinceramente essas perguntas e você terá uma boa idéia de como anda o seu marketing pessoal. Pois se as pessoas não demonstram satisfação em encontrá-lo, se os clientes lhe dispensam só o tempo necessário e ninguém parece torcer pelo êxito do seu trabalho, é sinal de que seu Ibope não está grande coisa.

Para ter sucesso no mercado, você sabe, não basta desenvolver um bom produto: é preciso investir na criação de uma boa imagem para esse produto e divulgá-la para o público. Da mesma forma, para ter sucesso na carreira, não basta ser competente nem exibir um currículo incrível, como se ele fosse um anúncio luminoso. É preciso criar uma imagem de entusiasmo e profissionalismo e ter grande habilidade de relacionamento com as pessoas. É preciso que você seja seu próprio outdoor e mostre muita graça e prazer no que faz, mas com humildade e respeito pelos outros. Porque você é único, mas não é o único. E , não existe ter sem ser .

Vamos começar pelo entusiasmo, porque é fundamental ter paixão pelo que se faz. O profissional apaixonado por seu trabalho esbanja brilho e energia, é percebido pelos outros como alguém bem sucedido no que faz. Sei que você pode estar pensando que a importância de ter paixão é o óbvio ululante, quase um chavão. Mesmo assim insisto nesse ponto, e sabe por quê? Porque isso é coisa que todo mundo diz que sabe, mas pouca gente demonstra.

Para a maioria das pessoas, o entusiasmo não resiste às dificuldades do dia-a-dia, à concorrência acirrada, e o que transparece mesmo é a queixa e o desânimo. Um profissional desanimado pode tentar convencer a si mesmo de que tem paixão pelo que faz, mas não convence. Afinal, se fosse realmente apaixonado, botaria mais fé no seu taco e não se deixaria abater tão facilmente pelos desafios que encontra.

Falando nisso, como você avalia seu entusiasmo: ele efetivamente transparece em suas ações ou é o desânimo que predomina? Você realmente gosta do que faz?

Falemos agora de profissionalismo, pois sem ele uma pessoa apaixonada pode transmitir a imagem de quem fala muito e não faz nada. A pessoa profissional se empenha em fazer seu trabalho da melhor maneira possível. Persegue a excelência e não se contenta em fazer o que se espera dela - na verdade, procura superar as expectativas. É confiável, cumpre compromissos, respeita prazos. E ainda surpreende.

Agora reflita: o que você tem feito em prol de uma imagem de profissionalismo? Você se satisfaz em cumprir com "a sua parte" ou procura fazer mais do que lhe é pedido? É superficial ou profundo? É restrito ou abrangente? Faz as coisas sempre da mesma maneira e preocupa em inovar? É um profissional commoditie ou luta para se diferenciar?

Deixei para falar sobre habilidade de relacionamento por último, não porque se trata do aspecto menos importante do marketing pessoal, mas porque a falta de cuidado em relação a isso pode levar por água abaixo os efeitos positivos do entusiasmo e do profissionalismo. Afinal, de que adianta ser apaixonado pelo que se faz e ter alto grau de profissionalismo quando se é inábil para tratar com as pessoas? Já vi gente com muita garra e competência ser afastada do trabalho ou ter sua ascensão profissional comprometida por não ser capaz de estabelecer bons relacionamentos com clientes e parceiros, superiores, subordinados e colegas. Não é à toa que algumas empresas, antes de contratar um profissional, entrevistam ex-companheiros de trabalho dele para saber se ele é o tipo de pessoa que deixa companheiros saudosos ou desafetos por onde passa.

Avalie a qualidade dos seus relacionamentos profissionais. Questione se você sabe ouvir os outros, se é preocupado em se fazer compreender, se aceita críticas sem ficar ofendido, se diz com franqueza o que pensa, se valoriza a opinião alheia, se coopera, se pede ajuda quando precisa, se aceita que o outro seja diferente, se pede sugestões, se admite seus erros. Digamos que cada sim que você dá a essas questões valha 1 ponto: numa escala de 0 a 10, como você se situa?

Com entusiasmo, profissionalismo e habilidade de relacionamento, você pode irradiar uma imagem profissional altamente positiva, assertiva e vendedora. Veja que não estou falando de frases prontas, gestos calculados e atitudes artificiais, mas de uma postura que vem de dentro, mostrando quem você é, o que sabe e a que veio. Para mim, o bom marketing pessoal cria uma torcida em nosso favor, porque quando há vibração e convicção no que fazemos, as pessoas em volta começam a torcer pelo nosso sucesso.


Se você chegou à conclusão de que precisa melhorar seu marketing, já sabe o que tem de fazer. Comece a mudar as coisas agora mesmo, pois nada muda se você não mudar. Então, verá que muita gente torce para que você dê certo.

Colunista do Vila Sucesso e Vila Equilíbrio, Leila Navarro é palestrante motivacional e comportamental, além de ser empresária e Presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Capital Humano.

Comente