O Êxito não resiste ao comodismo

Trata-se de um processo sutil e por mais paradoxal que seja, nasce justamente no próprio sucesso. É simples, basta um olhar em retrospectiva.

Em situações que ficaram no passado, enfrentamos (coloco no plural, pois não conheço um único ser humano que não tenha vivenciado isso) inúmeras adversidades e obstáculos. Para cada uma dessas situações oferecemos um tipo de resposta. Algumas foram plenamente enfrentadas, outras deixadas de lado, e provavelmente algumas, simplesmente ignoradas. Isso é recorrente, acontece com todos nós.

No entanto é importante analisar o resultado disso no presente, ou no futuro, para aqueles enfrentamentos que estão ocorrendo agora. Certamente constataremos que aquele aspecto de nossa vida, tais como o profissional, o familiar ou o campo sentimental, que no passado representou as maiores aflições, é justamente aquele que agora se encontra mais consolidado e equilibrado.

O fato é que aquilo que anda bem, que não nos aflige, ou que está camuflado pela nossa ingênua crença de que nada de errado possa acontecer, invariavelmente deixa de receber a nossa atenção. Deixa de ser alvo dos nossos esforços. O resultado é óbvio. Pura deterioração. A vida é mutante, dinâmica, e não podemos nos esquecer jamais disso.

É a clássica e recorrente a história do casamento perfeito, tido como líquido e certo no seu sucesso desde a sua origem, mas que com o passar dos anos, vai morrendo pouco a pouco, vítima da acomodação, da falta de cuidado. Na cega certeza de que tudo vai dar certo, nasce o fim.

O mesmo vale para a vida profissional. Uma sucessão de sucessos e vitórias vão se acumulando ao longo do tempo e da nossa trajetória, o que é ótimo e muito bem vindo, desde que não nos esqueçamos de que o abismo existe e está a espreita. Para cair nele basta a atitude do descuido, da displicência, da falsa certeza de que o jogo está ganho.

É por isso de defendo um certo ceticismo saudável, e fujo de tudo aquilo que tente dopar o meu discernimento sobre as ameaças que existem e que sempre vão existir. Conscientes de sua existência, podemos atuar e preservar as nossas conquistas.


Não se casa apenas no dia do casamento. Casa-se todos os dias. Não se atinge o êxito profissional apenas nos seus momentos simbólicos ou na constatação de uma ótima fase, mas no esforço cotidiano. Não se pode considerar uma marca construída em definitivo, a sua construção ocorre a cada ato, a cada nova decisão. Em resumo: o êxito que se sustenta, nasce da certeza de que a glória é efêmera.

Gustavo Chierighini, atento observador do universo corporativo, é fundador e publisher da Plataforma Brasil, especializada em informações e conteúdos de inteligência empresarial. www.pbrasilnet.com.br

Comente