Musicoterapia na escola

Musicoterapia na escola

Sabemos que a música desperta emoções e impulsiona os sentidos. E desde muito cedo somos despertados pelos sons que nos cercam. "Entre sons e silêncio a criança é gerada, nasce e se desenvolve. É no ventre da mamãe que ela escuta os primeiros sons. O 'tum' do coração tem um ritmo, então imagina que já nascemos tendo conhecimento de ritmo", diz a professora e musicoterapeuta Denise Fiuza.

Desde o ano passado, ela desenvolve um trabalho com os seus alunos em uma escola pública de Santos. Por meio de histórias, brincadeiras e canções da cultura popular, promove a musicalização dessas crianças. "Faço uso da musicoterapia quando as crianças estão agitadas, chorosas e até mesmo em outras situações em que percebo o isolamento de alguma criança em relação ao grupo", explica.

Para isso, Denise costuma utilizar instrumentos de percussão ou músicas específicas (clássicas, instrumental e new age). "Dependendo do momento, faço uso da percussão corporal, da dança entre outros".

O resultado: "Em muita leituras e também pela prática, percebi a importância da música no desenvolvimento infantil em todos os aspectos: físico, psicológico, cognitivo e social", conclui.

Por Lívany Salles

Comente