Mudar de carreira?

Há pessoas que chegam em um momento da vida em que se sentem desencantadas com o que fazem. Parece que nada mais faz sentido em suas vidas. Aquela profissão que tanto as motivou um dia, por um motivo qualquer, já não as empolga mais.

Elas até que imaginam partir para outra coisa, mas, quando olham para todo investimento de tempo e dinheiro que já fizeram, o conhecimento que acumularam e resultados que obtiveram, perdem a coragem. Então têm pensamentos do tipo "agora é tarde", "e se não der certo?" ou "melhor deixar tudo como está" e continuam na mesma.

Essas pessoas acham que uma mudança significaria desperdiçar tudo que já aprenderam. Será? Eu penso diferente. Para mim, desperdício mesmo é não aproveitar o impulso de mudar e encontrar algo novo, que nos apaixone e gere satisfação.

Veja que inspirador o exemplo da bispa Katharine Schori, 52 anos, que foi eleita líder da Igreja Episcopal Anglicana dos Estados Unidos. Vendo-a hoje em um cargo tão elevado (é a primeira mulher a chegar lá!), dá até para pensar que ela entrou para a igreja bem cedo e fez uma longa carreira, não? Que nada! Para começar, era católica e mudou para a religião anglicana.

Formou-se bióloga, casou, teve uma filha, aprendeu a pilotar aviões e tirou PhD em oceanografia. Por todo esse tempo, sempre se envolveu nas atividades da igreja episcopal. Em 1990, aos 36 anos, estava muito confortável no Serviço Nacional de Pesca Marinha quando o pastor de sua congregação pediu que ela o substituísse em um culto. Katharine ficou encantada com a experiência, entrou para um seminário e ordenou-se sacerdote em 1994. Desapegou-se dos diplomas, do brevê de piloto, da carreira bem-sucedida e partiu para um novo caminho. E veja só aonde chegou.


Para quem acredita que nasceu para determinada coisa e tem de ficar nessa coisa por toda a vida, está aí um ótimo exemplo de que experimentar algo novo pode dar certo. E por que não? O ser humano é cheio de possibilidades e talentos, e você só irá descobrir os seus se der permissão a si mesmo para exercê-los.

Sociólogos e economistas que antecipam as tendências para o futuro estão avisando: o homem moderno exercerá várias profissões ao longo da vida. E por falar em várias profissões X futuro, não posso deixar de citar o autoemprego. O autoemprego nada mais é que um conceito. Refere-se a quem exerce uma profissão por conta própria, transformando seu know-how em um produto.

O autoemprego é uma tendência de futuro, uma atividade em expansão. Contando que atualmente as empresas não dão conta de empregar todos os talentos disponíveis no mercado, é a autonomia que pode dar segurança ao profissional moderno. Logo, não desperdice o seu talento, se você não está contente, mude, tente... E prepare-se: tem muita coisa ainda para você experimentar. É só não resistir ao chamado.

Colunista do Vila Sucesso e Vila Equilíbrio, Leila Navarro é palestrante motivacional e comportamental, além de ser empresária e Presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Capital Humano.

Comente