Listas de Casamento - um bom negócio!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Lista de Casamentos com classe

Tudo começou com a venda de um relógio, aos 12 anos de idade. Depois disso, Mickey Cimerman foi atrás do que realmente lhe faria vitorioso. Em 1958, o comerciante decidiu instalar sua pequena loja no simpático bairro do Bom Retiro, antes residencial.

Curiosamente, a loja de Mickey virou um recanto de presentes direcionados para casamentos. Demorou a engatar, mas, aos poucos, o sucesso foi se tornando algo mais do que certo. "A loja era pequena e foi aumentando a medida que o Mickey entendeu que, em casamento, todo mundo dava presente", afirma o filho Paulo Cimerman, que é também diretor da Presentes Mickey.

A idéia de produzir listas de casamento foi tirada de Paris, da Galeria Lafayette. Infelizmente, o sucesso francês não foi tão bem aceito assim. Paulo conta que a primeira reação do público foi recusar a inovação. Isso ficou claro pelo fato de que, para a época, comprar presentes para casamentos era baseado na sinceridade. As pessoas davam o que gostariam de dar e não o que os noivos gostariam de ganhar. "O brasileiro era bastante resistente", afirma o empresário.

Com o passar do tempo, as pessoas começaram a ver que era muito mais fácil dar o que os noivos queriam do que entregar um presente desnecessário. "O brasileiro passou a entender que dar de presente o que os noivos queriam é uma maneira de facilitar", diz Paulo.

Além da lista de casamentos, a Presentes Mickey também vende artefatos de decoração e itens para a casa. Mas o forte da loja sempre foi as cerimônias, por isso, Paulo afirma que as listas de casamento foram o grande triunfo da Mickey.

Hoje, com mais de 20 mil itens, a loja envolve o público de uma forma única e confortável e disponibiliza presentes para todos os gostos e bolsos. "Temos porta retratos maravilhosos que saem por R$ 12. E também temos produtos que custam muito caro, como, por exemplo, produtos de prata de lei que chegam a custar em torno de R$ 30.000", admite Paulo.

Atualmente é comum ver lojas com as mesmas características. Então, o que faz da Presentes Mickey tão especial assim? "Primeiro de tudo, o atendimento. Nossas consultoras são sempre bem preparadas e com mais idade. São mulheres casadas, acima de 35 anos, que têm experiência", conta Paulo.

Além dos presentes disponíveis na loja - 90% deles importados, a Presentes Mickey também desenvolveu parcerias com diversos outros serviços para noivas. Tudo para facilitar esses dias tão estressantes para o casal e, como o próprio Paulo afirma "diminuir a dor no bolso dos noivos".

São serviços de convites, limousine, cabelo, docinhos, buffet, lembrancinhas e todos os outros detalhes que não podem faltar na cerimônia.

Hoje, a presentes Mickey faz em média, 300 listas de casamento por mês. O serviço também está disponível pela internet. "Os internautas representam muito para nós, eles são muito importantes e muito fiéis também", comenta Paulo. Mas o empresário recomenda que os noivos venham visitar a loja para que vejam de perto o que estão escolhendo e desfrutar das mordomias da casa.

Lista de Casamentos com classe

"Recomendamos que eles venham ver os produtos, 10 ou 15 dias antes da entrega do convite. Eles serão acompanhados por uma consultora da loja e serão tratados como se estivessem em casa, podem tomar um chá no nosso salão e comer um pedaço de bolo", observa o empresário. Quando os noivos vão até a loja eles ainda recebem uma pastinha com informações sobre datas para trocas dos presentes, dicas de lembrancinhas e lua de mel e ainda um bônus.

Segundo Paulo, a Presentes Mickey desenvolveu parcerias com outras empresas para presentear os noivos. Funciona assim: se o casal atingir uma quantidade X em presentes (por exemplo, os presentes ganhos totalizaram o valor de R$ 100 mil), eles terão direito a alguma premiação (como no exemplo, os noivos ganham uma lua de mel). "Os noivos ficam alucinados, eles adoram".


Para mais informações sobre listas de casamento na Presentes Mickey acesse www.mickey.com.br

Por Tissiane Vicentin (MBPress)

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente