Letra legível ainda é importante nos processos seletivos?

Letra feia jamais

Foto: Patrick Lane/Somos Images/Corbis

Como é sua letra? Já parou para analisar se ela é legível? Para quem não sabe, durante uma seleção de emprego a caligrafia pode fazer parte da avaliação, uma vez que o ponto, a volta das letras ou até mesmo o traço pode dizer muito sobre o candidato. Por isso, o cuidado nesse quesito nunca é demais, pois com uma caligrafia ilegível você pode perder o emprego dos seus sonhos.

Para algumas pessoas a letra legível não é tão importante hoje como um dia já foi. Porém, há poucos dias vimos que para o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, esse fator é muito importante. A letra ilegível e a assinatura com nove círculos do secretario do Tesouro Americano, Jacob Joseph Lew, virou piada em Washington e repercutiu no mundo todo.

Até o presidente americano se divertiu com a situação "Eu nunca tinha reparado na assinatura do Jack e, quando isso foi mostrado pela imprensa, eu considerei voltar atrás na escolha dele", afirmou Obama, ao final da cerimônia de nomeação. "Jack me assegurou que vai se esforçar para fazer pelo menos uma letra legível", disse.

Então se você acha que uma letra decente não é essencial é melhor repensar! "A caligrafia é muito importante no mercado de trabalho. Pela ortografia é possível avaliar até mesmos os profissionais que não têm conhecimento aprofundado em grafologia", diz Simone Dantas Santos, analista de Recursos Humanos da KSI Brasil Auditores Independentes. "As características essenciais para uma boa escrita são: capacidade de organização, clareza de ideias e uma escrita harmônica."

A grafologia, conforme nos lembra Simone, é uma técnica que visa interpretar características da personalidade através do traçado e sua escrita. "Uma análise mais aprofundada nos fornece dados estruturais e situacionais do indivíduo tais como: inteligência, habilidades, perfis de liderança, capacidade de tomadas de decisões, dependências de substâncias tóxicas entre outras características", pontua a analista.

Por conta da era digital, computadores e tablets podem ser considerados os grandes vilões da má caligrafia. A preguiça e a falta de paciência de caprichar na letra acabam passando para o leitor a falta de clareza das ideias. "As pessoas que usam de maneira contínua o computador acabam trazendo às redações escritas muitas das abreviações utilizadas nas redes sociais, os mais famosos são ‘vc’ e ‘ñ’. Isso acaba sendo visto como ponto negativo pelo selecionador, pois indica que o profissional é impaciente e impulsivo", explica Simone.


A analista de Recursos Humanos finaliza com uma dica para ajudar você a manter a qualidade na escrita. "O ideal seria que todo dia colocássemos no papel conteúdos que tenham uma fluidez mental, ou seja, assuntos duradouros como um artigo, observações em um diário ou um esquema de metas e objetivos para curto e longo prazo. Fugindo dos assuntos cotidianos o nosso cérebro prestará atenção na escrita, saindo do famoso caminho automático."

Por Marisa Walsick (MBPress)

Comente