Felizes no trabalho

Felizes no trabalho

Problemas com os colegas, chefes, desentendimentos com clientes, cansaço físico e mental... as dificuldades relacionadas ao trabalhado são inúmeras. O estresse costuma ser maior quando o trabalhador tem mais responsabilidades. Apesar disso tudo, a pesquisa "A Contratação, a Demissão e a Carreira dos Executivos Brasileiros 2009", realizada pela Catho Online, especializada em recursos humanos, aponta que o nível médio de felicidade do profissional brasileiro é de 6,9 numa escala de 1 a 10.

A pesquisa contou com mais de 16 mil participantes, em diversas categorias, de presidente a trainee, passando por gerente, supervisor e consultor, entre outras. Os profissionais responderam a um questionário com 299 perguntas, entre os meses de março e abril deste ano. O porte das empresas não pesou muito nas respostas dessas pessoas.

No topo da lista de profissionais mais satisfeitos com o trabalho estão os presidentes de empresas e, curiosamente, os professores universitários, com média de 7,6 na escala, uma diferença de 7% em relação à média nacional. "Apesar de esses profissionais terem sido identificados como os mais felizes, não houve grande diferença na escala entre os demais níveis hierárquicos", observa Adriano Meirinho, diretor de Marketing da Catho Online. Cargos administrativos e operacionais, seguidos dos treinees são os menos felizes, segundo a pesquisa, com números abaixo da média. A pesquisa não relacionou felicidade ao salário.


O resultado da pesquisa é relevante por mostrar que, quando se trata de trabalho, os brasileiros estão mais próximos de serem muito felizes (10 pontos) do que muito infelizes (zero ponto). Ainda bem, né? Afinal, nos sentirmos bem no ambiente de trabalho e realizados profissionalmente é essencial, já que passamos em geral um terço do dia e boa parte da vida trabalhando.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente