Ex-vice-presidente do Tinder abre processo por assédio sexual

tinderprocesso

Whitney Wolfe - foto: reprodução

Whitney Wolfe, ex-vice-presidente de marketing do popular aplicativo de relacionamento para celulares, o Tinder, abriu um processo contra seu ex-parceiro por discriminação e assédio sexual em um tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos.

Whitney afirmou que foi chamada de "puta" pelo chefe de marketing do Tinder, Justin Mateen, em repetidas ocasiões, inclusive diante do executivo-chefe da empresa, Sean Rad, que também a ameaçou de retirar seu título de cofundadora do aplicativo porque sua imagem de mulher jovem desvalorizava a companhia.

No processo, Whitney diz que Mateen e Rad "representam o pior do estereótipo de macho alfa misógino que frequentemente se associa com as startups tecnológicas".

A Match.com e a IAC, empresas proprietárias do Tinder, também foram incluídas no processo. A ação diz que a imagem de Whitney era usada pela companhia para atrair às mulheres para o aplicativo.

Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: empresas tinder manchetes