7 dicas para estudar sozinha

Saiba como se tornar um autodidata e conquiste resultados positivos nas suas provas
Estudar sozinha autodidata

Foto - Shutterstock

Foi- se a época em que a única maneira de aprender era em conjunto, dentro de uma sala de aula. Hoje em dia várias instituições apostam no estudo individualizado e até online. Mas como se tornar autodidata


O estudante que deseja investir neste tipo de capacitação precisa desenvolver algumas habilidades para que a absorção do conteúdo seja a mais eficaz possível. Segundo o diretor de Relações com o Mercado do Instituto Monitor, escola pioneira em EaD no Brasil, Eduardo Alves, o aluno que estuda à distância tem que ser um pouco autodidata. “É preciso concentração, persistência e perseverança”, destaca. 

Se você entra no grupo de pessoas que está estudando para conquistar um melhor lugar na sua cerreira, Alves dá algumas sugestões para otimizar o processo de estudo e, claro, conquistar os resultados positivos. Confira: 

Estabeleça ferramentas de pesquisa

Já que vai estudar sozinho é preciso de auxílio e não necessariamente de um professor. Estudar em uma biblioteca pode ajudar, pois ter acesso a diferentes fontes de conteúdo enriquece e facilita o aprendizado. A Internet também é uma fonte importante, porém deve ser utilizada com cuidado. “Muitas fontes não são confiáveis, além dela ser um convite à dispersão”, explica Alves.

Controle emocional

Minimizar o estresse e a ansiedade é fundamental. “Muitas vezes, a pessoa estabelece objetivos tão rígidos, principalmente em disciplinas que tem mais dificuldade, ou a carga de estudos é tão grande, que ela perde o foco e se deixa dominar pelo lado emocional. Técnicas de relaxamento e controle da respiração são algumas alternativas para não se deixar abater”, afirma o diretor.

Aproveite as ferramentas digitais para estudar

Os celulares e tablets possibilitam que o aluno tenha sempre o conteúdo dos estudos à disposição. “Aproveite momentos livres, como o tempo disponível no transporte público, para reforçar algumas questões. O ambiente não favorece a concentração totalmente, mas pode ajudar a fixar alguns pontos dos que já foi estudado”, indica Alves.

Faça uma atividade física

“Parece clichê, mas a prática de esportes ou atividades físicas é muito benéfica ao organismo, não só porque melhora o sono e libera substâncias importantes para o corpo. Mas porque mantém o cérebro saudável,  ajuda a processar melhor os estímulos e as informações recebidas externamente”, relata o diretor.

Manter a motivação

“Talvez isso seja o mais desafiador para o aluno. É preciso ter em mente porque decidiu iniciar o curso, estabelecer um cronograma, horário e local de estudo para que isso se torne um hábito, uma tarefa diária”, recomenda Alves.

Curiosidade 

Essa é uma característica fundamental de um autodidata. “Não deixar dúvidas na cabeça, se aprofunde por conta própria em questões que não ficaram claras, use outras fontes de conhecimento, troque ideias com outros estudantes. Esse é um dos princípios da autoaprendizagem”.

Organize as informações por conta própria

Se você não nasceu autodidata, pode utilizar recursos extras para organizar o conhecimento. “Para quem está estudando um novo idioma, por exemplo, andar constantemente com um bloco de anotações para registrar qualquer insight, usar planilhas e formulários para classificar as informações e as expressões aprendidas e depois praticar isso repetidas vezes ajuda a fixar o conteúdo”, conclui Alves.

Por Helena Dias 

Comente

Assuntos relacionados: estudar autodidata