Educação à distância

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Educação à distância

De equilibristas, todas nós mulheres temos um pouco. E não admitimos que todos os papéis que desempenhamos atinjam menos que o sucesso. No entanto, para ser boa mãe, boa amante e, ao mesmo tempo, profissional competente no trabalho, é preciso estudar e buscar atualização. Como não dá para acrescentar mais horas às 24 que já completam um dia, os cursos à distância podem ser uma boa alternativa para aquelas que não querem parar no tempo.

Para quem ainda não conhece, educação à distância é o processo de ensino-aprendizagem intermediado por tecnologias da informação, onde os professores e alunos estão separados por espaço e/ou tempo. Ou seja, não estão juntos fisicamente, mas interligam-se por meio de tecnologias, principalmente a Internet. Assim, mulheres sem tempo disponível para ir pessoalmente às salas de aula encontram maior flexibilidade em receber ensino de ponta diante de seu próprio computador, especialmente se o curso for de curta duração.

O melhor da história é que a oferta de vagas e cursos a distância oferecidos por instituições de ensino brasileiras reconhecidas pelo MEC vem se diversificando, abrangendo as áreas de ciências humanas, médicas e exatas. O sistema, segundo especialistas em educação, é mais adequado para adultos com experiência consolidada em aprendizagem individual e de pesquisa, como acontece no ensino de pós-graduação.

Para estudar à distância, normalmente é preciso atender a alguns requisitos tecnológicos, como possuir computador com rápida conexão à internet, conta de correio eletrônico, suporte a multimídia, navegadores Netscape ou Internet Explorer e conhecimentos básicos de informática.

Leia também - Aprendizado contínuo

Por Adriana Cocco

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente