Crescendo profissionalmente em tempos de desemprego

Crescendo profissionalmente em tempos de desempreg

Ficar desempregado por algum tempo mexe com a autoestima de qualquer um. É comum que nesse período a pessoa se sinta incapaz e desmotivada. Muitos acabam se acomodando na situação em que se encontram, deixando de investir no crescimento pessoal e profissional e até de dedicar um tempo à busca de um novo emprego. Essa falta de atitude só piora tudo.

A gerente de comunicação da Catho Online, Carolina Stilhano, afirma que ninguém deveria deixar que a fase de desemprego se tornasse sinônimo de inatividade profissional. Para tanto, cada desempregado precisa manter-se atualizado sobre o que acontece no mundo e, especialmente, em sua área de atuação. "Isso favorece não só que o profissional consiga melhores posições no mercado de trabalho, mas também que adquira conhecimento de como melhor gerenciar sua carreira, identificando as áreas promissoras e as diretrizes a serem seguidas para o crescimento constante na carreira desejada".

Claro que não é fácil crescer profissionalmente sem recursos para investir nessa área. No entanto, é no período de desemprego que o indivíduo conta com mais tempo para aumentar seus conhecimentos. O segredo para driblar a falta de dinheiro é pesquisar cursos gratuitos que tenham relação com a formação ou o objetivo profissional do candidato. Mas cuidado: verifique, em primeiro lugar, se a instituição em que o curso é oferecido tem credibilidade.

"Um curso de pós-graduação ou MBA, muitas vezes é um grande diferencial no currículo de um candidato, pois é uma eficaz fonte de qualificação e atualização, além é claro, de ser um excelente canal para desenvolvimento de networking", diz Carolina. No entanto, se você acabou de se formar e ainda não tem muita experiência, talvez a especialização não seja o melhor. Um curso de línguas, por exemplo, pode ser uma boa pedida, já que é cada vez mais necessário em diversas áreas do mercado.

Uma dica valiosa para quem deseja uma recolocação no mercado de trabalho é aprender a elaborar um currículo de qualidade, mostrando para a empresa que o profissional tem um foco. Portanto, quando fizer cursos não relacionados à carreira, evite informar isso no currículo. "Todo conhecimento é válido. Mas esses cursos podem demonstrar falta de foco na carreira", orienta a gerente de comunicação.

Além de servir para aumentar os conhecimentos, o maior tempo livre também pode ser investido na busca por um novo emprego, às vezes até melhor que o anterior. E muita gente não faz isso. De acordo com a pesquisa "O Desempregado Brasileiro 2009", realizada pela Catho Online, os desempregados dedicam aproximadamente 14 horas semanais à procura de trabalho, o que corresponde a apenas duas horas diárias. "Este é o momento em que o profissional deve se dedicar ao máximo, investindo ao menos quatro horas de seu dia em sua recolocação. Desta forma, seu tempo de desemprego será bem menor em relação à maioria dos profissionais", sugere Carolina.


Então, seja qual for o estado de sua vida profissional, nunca deixe de investir em você. Enxergue o período de desemprego como uma fase que logo vai passar, e tire o máximo de proveito disso. Reavalie seus objetivos. Aproveite para ampliar seus contatos e aumentar as oportunidades de conseguir não só um emprego qualquer, mas sim aquele que realmente corresponda às suas expectativas.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente