Como se tornar uma chefe insuportável

Como se tornar uma chefe insuportável

Esse não é, evidentemente, o desejo de ninguém. Não conheço ou jamais escutei o relato de alguém que desejasse atingir esse "status".

Pessoas em posição de comando e chefia, querem respeito, comprometimento, mas se possível, desejam ao menos causar o mínimo de empatia.

Contudo, nem sempre é esse o resultado que se conquista, e o conturbado universo corporativo tem o potencial de criar armadilhas, aparentemente inimagináveis, e nas quais jamais se imaginou cair.

Pensando nessas situações, decidimos abordar o assunto destacando aquelas atitudes e características que, lamentavelmente, podem transformar você em alguém insuportável aos olhos de toda uma equipe, ou ao menos para a maioria.

Vamos lá:

1) Escolha aquelas pessoas com as quais tem maior empatia ou confiança e estabeleça uma relação repleta de privilégios e exclusividades;

2) Não deixe claro o que deseja ou aquilo que espera como desempenho e conduta, no lugar disso, transmita mensagens obtusas, abstratas e de difícil entendimento;

3) Intrometa-se na vida pessoal dos seus colaboradores e subordinados, atuando coma uma espécie de "guru" orientando e transferindo sua imensa sabedoria para apoiar a relação desses com seus cônjuges e filhos;

4) Ao chamar a atenção sobre erros e equívocos, adote frases prontas e de efeito consumidas no último seminário do qual participou, ao invés de ser clara, direta e objetiva;

5) Seja rude, brava e sustente um estado de constante nervosismo e irritação;

6) Desconte seus problemas pessoais nos subordinados, atenuando o impacto detalhando o ocorrido e concluindo com um pedido de desculpas, mas deixando claro que você é assim mesmo e não pretende mudar;

7) Force sua equipe a tratar do estresse no trabalho com soluções coletivas do tipo "coral corporativo" ou "grupos de terapia corporativa" onde todos são obrigados a participar, com início programado para o final do expediente, lógico;

8) Estimule a religiosidade dos seus colaboradores logo no início do dia com uma oração coletiva, obrigando-os a rezar de mãos dadas, professando evidentemente, a sua religião ou crença, e naturalmente desconsiderando as crenças individuais;

9) Fortaleça e promova única e exclusivamente, os colaboradores que lhe dirijam elogios, reconhecimento, aceitação e apoio como chefe.

10) Seja rigorosamente controladora e esmague iniciativas individuais;

11) Atue de forma ressentida sempre que for questionada, ou perceber na sua equipe profissionais mais competentes ou preparados que você;

12) Reaja com irritação, sempre que escutar um relato ou análise sobre determinado problema, que não coincida com a sua opinião;

13) Faça diferença e estabeleça relacionamentos repletos de preconceitos ao interagir profissionalmente com homens e mulheres.


Para concluir, saiba que são muitas as armadilhas que podem colocar você em rota de colisão com toda uma equipe, mas saiba também que o bom senso estará sempre à disposição e que a paciência coletiva é escassa.

Gustavo Chierighini, atento observador do universo corporativo, é fundador e publisher da Plataforma Brasil, especializada em informações e conteúdos de inteligência empresarial. www.pbrasilnet.com.br

Comente