Como se livrar da rotina apertada

Tudo é para ontem

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Aposto que muitas vezes sua vida é tão corrida que você para e se pergunta: "Será que o dia tem mesmo 24 horas ou meu relógio está errado?"

O consultor organizacional, Isaac Pinski, entende a "correria" do nosso dia a dia de duas formas. "Uma delas é que nós vivemos um período de grande concorrência. Estamos cada vez mais competitivos e acreditamos que, se não ultrapassarmos diariamente os nossos adversários, seremos superados", diz. Isso faz com que nós não estabeleçamos limites para as nossas atividades. O que é um aspecto bem crítico."

Existe, no entanto, outro motivo: "A enorme dificuldade que as pessoas têm em estabelecer prioridades. Sem essas, elas têm que fazer tudo, e ninguém tem condição de fazer tudo. Esse é o grande segredo."

Para podermos viver de uma forma mais saudável, agradável e não tão "apertada", Pinski ensina: "Nós sempre temos que entender a organização da nossa vida como se fossem de classe ‘A’ ou ‘C’ e dar importância e uma educação diferenciada a tudo aquilo que for ‘A’ e não o que for ‘C’".

Quando as pessoas não enxergam isso, que as coisas na vida são categorizadas, elas ficam ansiosas e dão a mesma importância a tudo. O que é um equívoco muito grande.

Então, por exemplo: Imagine uma mulher que é dona de casa, mãe e profissional. O "A" para ela seria comparecer a uma reunião no emprego, não se atrasar para os compromissos, cuidar de sua saúde e do dia a dia de seu filho. Porém, se ela deixar uma sujeirinha no chão da sala (o desejável é que esteja limpinho, mas não é fundamental) ou se a roupa da criança não estiver limpa, é melhor deixar para lá. Essas últimas são "C". Resumindo: "É mais importante você dormir do que fazer algo ‘C’".

Para planejarmos nossas prioridades, temos que criar uma agenda. "Às vezes a gente faz agenda dos nossos filhos, como se fossem pequenos executivos, mas não fazemos nossas próprias", ressalta o especialista.

Outra coisa importantíssima é englobar tudo dentro da agenda. Tudo mesmo! Estabelecer, grosso modo, um horário para leitura de livros, lazer, namorar, para assistir à TV, para ficar sem fazer nada, para as atividades profissionais, sociais, familiares, afetivas e também tudo que agrega qualidade à sua vida.

"Parece exagerado, mas isso serve para você sair de um comodismo muito grande do ‘não agendamento’ e mais para frente acabar descobrindo que consegue planejar o seu tempo de uma maneira tão boa que a sua qualidade de vida melhora. Você reduziu o seu nível de ansiedade e aumentou o seu nível de satisfação", explica Isaac.

E olha que funciona! De acordo com o consultor, com esse exercício, 95% de seus clientes passaram a conseguir fazer coisas e atividades que achavam que eram impossíveis.


É claro que seguir a vida baseando-se em uma agenda é muito chato. Vale lembrar que este exercício é algo periódico, devendo ser realizado apenas quando se vê a necessidade da organização do seu tempo. "O segredo é esse: saber administrar o tempo. E isso não significa ter uma vida chata."

Ou seja, a organização é importante. Porém, o lazer dá o toque final. Assistir ao jogo de futebol, à novela, ir ao cinema, ler um livro, isso é essencial e deve continuar! Para terminar, #ficaadica mais importante de todas: nós somos os donos do nosso tempo!

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente