Como mudar de setor sem chatear o chefe

Como mudar de setor na empresa

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Todo o profissional que trabalha muitos anos em uma mesma posição na empresa sente o desejo de mudar. Alguns querem apenas mudar de cargo, mas outros desejam trocar de área para dar um "up" na vida profissional. Nesse momento surge a questão: como planejar essa mudança sem deixar o chefe chateado?

Antes de conversar com o supervisor, tenha lucidez dos motivos que o levaram a almejar a alteração na carreira. A coach executiva e educadora corporativa Regina Giannetti explica que a pessoa precisa ter clareza das seguintes questões: por que eu quero mudar? O que eu gosto de fazer? O que eu gostaria de experimentar de novo? O que busco? E o que o lugar me oferece de diferencial?

Quando essas questões estiverem definidas para você, conversar sobre a mudança com o superior se tornará uma tarefa muito mais simples. "Exponha os motivos bem especificados ao chefe sem esconder nada. Dessa forma ele será a primeira pessoa que apoiará. Afinal, o principal interessado em deixar o funcionário feliz é o próprio chefe", garante Regina.

E atenção! Uma mudança na empresa é um passo praticamente sem volta. Por este motivo a coach alerta que o profissional precisa prevenir essa situação de experimentar e não gostar. "Tome cuidado para que a mudança seja bem sucedida. Veja se você realmente tem as habilidades, atitudes e conhecimentos necessários para o cargo dar certo", orienta a coach.

Além disso, na sua antiga função já pode estar uma nova pessoa. "O mundo do trabalho não espera que as pessoas deem certo em uma determinada posição. O profissional que ocupou aquele cargo que você deixou vago pode estar se empenhando muito bem e não tem como retroceder. Mudanças desse tipo dificilmente têm volta, a menos que a empresa queira reconsiderar", informa Giannetti.

Para não se arrepender da escolha, Regina descreve que o profissional precisa identificar se possui o C.H.A. (conhecimento, habilidade, atitude) para exercer a função. O conhecimento é a formação, especialização e uma qualificação para o trabalho. A habilidade é o perfil requerido pela função. Por exemplo: se o cargo pede contato com público e você não tem facilidade, certamente, o cargo não lhe serve.

Já a atitude é a postura e determinação que você terá para atender às exigências do cargo. "São atributos que vão ajudar na escolha do seu perfil para aquele setor ou área. Sem os requisitos compatíveis fica difícil você concorrer à vaga. Ninguém contrata se não tiver as qualificações", relata a educadora corporativa.

Se por ventura o supervisor não concordar com a mudança e a insatisfação profissional falar mais alto, a pessoa deve conversar diretamente com o RH. "Ele pode recusar pelo fato de que sente medo de perder o seu braço direito. Converse com o departamento de Recursos Humanos da empresa para lhe ajudar a encontrar um trabalho que tenha compatibilidade com você", expõe Regina.


E não se desespere! Se naquele momento não abrirem vagas para o setor ou cargo que você gostaria, aguarde mais um pouco. "Alguém que não está satisfeito pode ser pouco produtivo e assim a empresa perde. Por isso, tenha paciência que no momento em que surgir uma oportunidade o RH lhe direcionará", finaliza Giannetti.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente