Como escolher o nome da empresa

Algumas marcas são tão conhecidas que acabam se confundindo com o nome do produto. Quem nunca colocou na lista do mercado a palavra "bombril" quando estava se referindo a uma esponja de aço? Assim como ela, "gillette" costuma ser mais citada do que lâmina de barbear. E "danone" passa a designar todo tipo de iogurte. Ou seja, nomes originais que ficam na cabeça do consumidor e são lembrados na hora das compras.

E o que todo empreendedor deseja é exatamente um nome que identifique a empresa. Para criar, vale conferir os valores e as metas da empresa. Aliás, o primeiro passo é identificar o objetivo do negócio para, então, decidir. Nomes muito complexos e difíceis de guardar não são recomendados. Nomes estrangeiros também devem ser evitados, a não ser que tenha realmente muito a ver com o perfil do empreendimento.


Em seguida, é interessante reunir os sócios e fazer um brainstorm (junção de várias ideias até chegar a um denominador comum). A partir daí, a identificação irá acontecer de acordo com os critérios de avaliação. Vale-se perguntar: é original? Qual é o significado? Está de acordo com o produto ou serviço prestado?

Por fim, realize uma pesquisa com o público-alvo da empresa para descobrir se o nome está, de fato, surtindo o efeito desejado. Se não tiver, comece tudo de novo.

Por Lívany Salles

Comente

Assuntos relacionados: carreira empresa consumidor mercado nome