Cólicas menstruais prejudicam carreira

Cólicas menstruais prejudicam carreira

Muito mais que dor, mau-humor e irritação, as detestáveis cólicas menstruais prejudicam consideravelmente o desempenho profissional de milhares de mulheres, levando prejuízos financeiros até para as empresas em que trabalham.

O primeiro estudo farmacoeconômico brasileiro sobre a prevalência da dor menstrual e seus impactos na produtividade no trabalho revela que as cólicas afetam 70% da produtividade profissional das mulheres no trabalho, e o prejuízo ao final de um ano chega ao valor de um mês de salário.

Segundo a pesquisa, realizada pela empresa Medinsight e publicada em setembro passado, 33 milhões de brasileiras com idade média de 26,3 anos são vítimas das cólicas menstruais e chegam a faltar no trabalho duas vezes por mês devido ao problema.

Quando enfrentam o batente mesmo com a dor, elas apontam sintomas capazes de prejudicar (e muito!) suas conquistas profissionais, como cansaço maior que o habitual, inchaço nas pernas, enjôo, cefaléia, diarréia, dores em outras regiões e vômito.

Segundo a psicóloga especialista em RH, Márcia Dolores Rezende, do Instituo Saber, a grande maioria das empresas ainda não se conscientizou sobre a necessidade de adotar medidas específicas para as mulheres que sofrem com cólicas menstruais. “Atividades e relaxamentos voltados para mulher são práticas que trazem alívio e maior concentração, mesmo com dor. Fariam bem à saúde delas e também às finanças das empresas”.

Às vítimas das cólicas resta buscar formas para driblar a situação. “As mulheres podem desenvolver habilidades para lidar com os sintomas físicos de forma equilibrada. Aliviar a tensão é uma prática constante daquelas que almejam posições de destaque”, diz a psicóloga.

Uma boa dica para melhorar o desconforto das cólicas menstruais é reduzir o consumo de gorduras nessa época e comer alimentos ricos em fibras. O abacaxi pode ser um grande aliado!

Leia também - Aprenda a cumprir os compromissos da agenda

Por Adriana Cocco

Comente