"Cheias de charme" traz novo perfil das empregadas domésticas

Domésticas cheias de charme

Foto: João Miguel Júnior/Divulgação TV Globo

Passou o tempo em que os patrões estipulavam as "regras do jogo" das empregadas domésticas, como dormir no emprego, trabalhar aos finais de semanas ou feriados. Com a mudança significativa no cenário econômico brasileiro, muitas dessas mulheres deixaram de trabalhar em casas de família mensalmente para atuar em outras áreas, ou apenas como diaristas. Com isso, as poucas profissionais que restaram começaram a impor o que desejavam.

"No cenário atual, o que existe não é uma valorização do status e sim uma valorização econômica. Devido à escassez, muitas mulheres encontraram outro tipo de inserção no mercado de trabalho, às vezes na área de limpeza, mas com benefícios que antes não existiam. A segurança em ter um trabalho com carteira assinada levou muitas profissionais a buscarem outras oportunidades. Por isso, as poucas domésticas atuantes cobram alto para fazer algum trabalho", explica Carla Diéguez, docente da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

A relação entre patrão e empregada doméstica também mudou no decorrer dos anos. "Agora é de afetividade, cordialidade e amizade. Se ela tem um bom patrão e mantém uma boa ligação, será difícil que deixe de trabalhar naquela residência, por causa dos vínculos que foram criados", afirma Carla.

Segundo a socióloga, o Brasil está em uma fase igual a que os Estados Unidos passaram por volta dos anos 70 e 80 com a falta de empregadas domésticas. O quadro fez com que houvesse um aumento na contratação da mão de obra de imigrantes nos estados de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

Carla ainda ressaltou que o reconhecimento do trabalho dessas mulheres fez com que o nome da profissão mudasse para desvincular aquela questão de submissão como ocorria no tempo das mucamas. "A mudança de nomenclatura para secretaria do lar faz com que a pessoa seja mais valorizada. Além disso, proporciona outro status à profissão que antes era reconhecida apenas por uma submissão da profissional", diz.

Cheias de charme

Para a docente, a nova novela das sete da TV Globo, "Cheia de Charme", em que retrata a vida de três secretárias do lar mudando de carreira, poderá quebrar alguns preconceitos existentes sobre a profissão. "É uma oportunidade de mostrar que elas têm outras possibilidades profissionais, basta ter força de vontade, estudar e correr atrás de uma mudança", explica.


"A novela pode influenciar a relação entre o patrão e o empregado, pois vai mostrar que elas não dependem tanto deles e sim que eles é que dependem dos serviços delas. Se deixarem a casa na qual trabalham, logo encontrarão outras oportunidades, na mesma área, ou em outras", pensa. "Vai mudar o perfil da profissional que saberá quanto vale os seus serviços. Pode ser também um momento de falar sobre os direitos das domésticas", finaliza Carla.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente