Chefes difíceis - O que fazer?

Chefes difíceis  O que fazer

Alguns ambientes de trabalho são prazerosos, outros nem tanto. Às vezes, o mal-estar dos funcionários é reflexo da postura dos próprios colegas de serviço, mas ele também pode estar diretamente ligado ao tratamento que recebem dos chefes.

Suportar grosserias e falta de respeito no local onde se passa a maior parte do dia não é tarefa fácil. É preciso muito jogo de cintura, mas o que fazer quando o responsável por isso tem o cargo superior ao seu?

Cléo Oliveira*, analista de Recursos Humanos, passou por essa experiência. Ela foi contratada como analista de CPD (Centro de Processamento de Dados), mas também exercia outras funções na empresa. “A grosseria vinha de todos os lados. Tinha muita falta de consideração e exploração”, desabafa. Segundo ela, os donos sempre tentavam humilhar os funcionários. “Eles criticavam até o modo de se vestir ou o jeito de falar”, conta Cléo, que trabalhou durante nove meses no local.

A assistente comercial Natacha Carnovale viveu uma situação parecida. Seu superior perdia a paciência facilmente, desligava o telefone na cara e, de acordo com ela, pedia serviços desnecessários. “Um dia, ele pediu que eu carregasse umas caixas pesadas até o andar de cima. Depois de algumas horas, mandou eu levar tudo para baixo, sem utilidade nenhuma”, recorda. Após um ano no emprego, a única solução que Natacha encontrou para acabar com o problema foi a demissão.

Essa também é a alternativa indicada pela psicóloga em recursos humanos de empresa Silvia Forte Dias. Mas antes disso, existem algumas medidas que o trabalhador pode tomar. “Em primeiro lugar, vale tentar falar com ele pessoalmente”. Junto com a aproximação, o ideal é a pessoa mostrar que é competente naquilo que faz. “Mas nunca tente disputar. O chefe tem a faca e o queijo na mão. Sempre tem que ter a clareza de que você é subordinado e ele é o chefe”, orienta.

Em casos mais graves, é sempre bom lembrar que existem os direitos dos trabalhadores. Em uma situação de humilhação, vale tentar gravar a conversa para entrar com processo contra o superior. “Hoje em dia, os empregados ganham a maioria das causas”, conta Silvia.

Fonte - MBPress

Comente