Caso Carolina Dieckmann: dicas para se proteger de hackers

Dicas para se proteger de hackers

Foto/Divulgação TV Globo

Nos últimos dias, o Brasil acompanhou o drama de Carolina Dieckmann, que viu vazar na internet suas fotos íntimas. Segundo o delegado que investigou o caso, a atriz deve ter clicado em algum e-mail que recebeu e, assim, permitiu que hackers invadissem seu computador. Esse acontecimento veio provar que somos muito vulneráveis quando o assunto é tecnologia, simplesmente porque muitas vezes desconhecemos práticas simples que podem garantir a segurança de nossas informações no computador.

Para saber como você pode minimizar e até mesmo evitar ataques de hackers, seja em casa ou no trabalho, o Vila Mulher conversou com o gerente de Suporte Técnico da McAfee para América Latina, José Matias. Ele conta que o uso de um bom antivírus é importante, mas que não é suficiente para evitar invasões e roubo de informações. Isso porque, segundo pesquisas, a cada 30 segundos um computador é infectado. E, por dia, são detectadas 7.500 novas ameaças na internet.

"A empresa que fabrica o antivírus precisa de um tempo para conhecer essas ameaças, criar a vacina e enviar a atualização para seus usuários. Nesse período, o computador fica vulnerável", explica. Outra forma de proteção indicada por José é ativar o firewall da máquina, um dispositivo de segurança que deixa a pessoa a par das informações que entram e saem do computador. "O hacker pode invadir a máquina ou encontrar uma forma de o usuário, sem perceber, entregar a informação que ele precisa. E, dependendo da qualidade do dispositivo a máquina pode apenas avisar o usuário ou até mesmo bloquear a informação que está sendo enviada ou recebida".

Como montar uma senha forte

Os hackers são experts em descobrir senhas. Então o jeito e caprichar na hora de escolhê-las. José Matias explica que, na linguagem da informática, existem senhas fortes e fracas. "A forte tem entre oito e 10 caracteres e é formada por números e letras maiúsculas e minúsculas e pode conter também caracteres diferentes, como um ponto de exclamação, de interrogação", afirma.

O gerente lembra que os invasores tentam todos os tipos de combinações possíveis ou ainda recorrem a dicionários de senhas. "É de praxe os usuários colocarem como login e senha nomes de familiares ou personagens de filmes. Existe na internet um dicionário de senhas com todos os nomes dos personagens do Star Wars. Isso facilita e muito a vida do hacker", lamenta.

Por isso, para montar uma senha forte José Matias sugere que o usuário escolha as primeiras letras das palavras do refrão de uma música. Depois é só fazer algumas substituições: o "A" pode ser o "4", o "E" pode ser um "3". "É importante também trocar a senha periodicamente, pelo menos uma vez por mês", avisa.

Os sites que acessamos podem ser perigosos, principalmente aqueles que pedem dados importantes, como senhas e dados bancários. Por isso, verifique antes a reputação destas páginas. Quando o site é seguro, ao entrar na página o "http://" se transforma em "https://". O "s" é de segurança. E na barra superior ou inferior do site aparece um cadeado, uma espécie de certificado de segurança do site.

"O McAfee tem um software chamado "McAfee SiteAdvisor", uma ferramenta que classifica a segurança de sites com as cores verde, amarelo e vermelho. Se o ícone ao lado do endereço do site estiver verde, você pode acessar. Amarelo ou vermelho podem ser sinais de perigo", explica José. Para baixar o programa basta ir ao site da McAfee, clicar em "para o lar" e acessar o menu "downloads".

No caso de e-mails, os usuários recebem os chamados "fishings". São e-mails com vídeos, fotos e promoções tentadoras, mas, muitas vezes, surreais. Eles são bem comuns em épocas de reality show, jogos importantes e acidentes dramáticos e trazem mensagens como "Confira o vídeo/a foto que ninguém viu". Outra opção é mandar um cadastro para ser preenchido. Basta você clicar para permitir que o hacker invada seu computador ou receba informação que tanto deseja.

"Esses sites possuem imagens borradas e erros de português grosseiros. Para evitar cair na armadilha do hacker, passe o mouse em cima do link enviado para saber qual o verdadeiro destino", diz Matias. Ele afirma ainda que, até por meio de mensagens instantâneas, como MSN, o hacker pode agir. "Desse modo, sempre que você receber um link, antes de clicar, pergunte para a pessoa que está do outro lado se ela realmente lhe mandou algo."

Os hackers podem agir até mesmo em redes de wi-fi presentes em aeroportos e hotéis. Segundo Matias estas amplas redes não são totalmente seguras e qualquer usuário pode interceptar sua comunicação com o roteador e pegar as senhas. Logo, tenha cuidado ao acessar e-mails e agências bancárias online nesses locais. "Em lan houses o risco é o mesmo. Uma opção é você apagar o histórico (cookies) antes de sair, mas caso um hacker tenha ido até o local e instalado um "key logger" na máquina (um vírus que rouba senhas) antes mesmo de o usuário tomar alguma atitude de segurança, suas senhas já foram roubadas", alerta.


Evitar roubo de informações implica em aliar um comportamento seguro com ferramentas seguras. "Se o usuário for cuidadoso e tiver poder de softwares que ajudem a manter a integridade das informações, ele certamente vai passar a navegar de forma mais segura", finaliza José Matias.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente