Carreira: em qual área apostar?

Carreira em qual área apostar

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Considerado a sexta economia mundial, o Brasil abrange uma quantidade de profissões e setores de trabalho enorme. Se você está pensando em uma área de tarefas para apostar com tudo, nós lhe daremos algumas dicas. Para isso, vale a pena entendermos o que está acontecendo com o país e com sua formação profissional atualmente.

O diretor de educação da ABRH-Nacional (Associaçã Brasileira de Recursos Humanos), Luiz Edmundo Rosa, explicou: "Hoje o maior servidor da mão-de-obra do Brasil é o setor de serviços, com mais da metade de 100 milhões de trabalhadores."

Para quem não sabe, o setor de serviços é tudo o que você tem em uma grande cidade: academia, supermercado, cabeleireiros, pet shop, lava rápido, etc."São caracteristicamente urbanos e 80% da população que vive na cidadevai trabalhar nisso", contou Luiz.

E continuou: "Cidade hoje no Brasil não é mais industrial, é de serviços. A indústria está em ambientes mais afastados. O que prolifera são os serviços. Quando alguém precisa de uma qualificação maior é porque existe uma complexidade no trabalho. Tecnologia, sofisticação do cliente e melhor qualidade são necessidades do país".

Sendo assim, os setores mais difíceis de encontrar pessoas qualificadas são os que exigem funções técnicas. O diretor dá exemplos: "Engenheiro, técnico de computação, analista de sistemas, que fazem softwares, funções em redes sociais, biólogo, químico e físico. São esses os profissionais que estão muito ligados à tecnologia e à infrainstrutura do país".

Para que este buraco seja preenchido, apenas uma solução é indicada: educação. "Escolaridade e capacitação são coisas diferentes. Tem gente com ótima formação e baixíssima capacitação. Exemplo disso são advogados formados, de cada 100 apenas 7,4 tem o selo do OAB", disse Luiz.

Isso serve inclusive para cargos de base, como o de um pedreiro, por exemplo: "Há uma diferença enorme entre um pedreiro qualificado e um não qualificado, como atrasos de obras, por exemplo. Os materiais ficaram ainda mais sofisticados. Então, cada erro que se comete é um prejuízo grande demais. Não dá mais para viver achando que o Brasil é um país do passado, que não precisa de mão-de-obra qualificada".

E é por conta da falta da educação desejada que existe tanta gente entrando em um setor de serviços e fazendo carreira em outros mercados. A indústria vai buscar gente no setor de serviços, como o diretor exemplificou: "Por que faltam lavadores de carros? Porque algumas empresas resolveram contratar o lavador de carro para trabalhar na construção civil. É mais fácil contratar alguém já treinado do que um novato."

E continua a explicação em outro exemplo: "Hotelaria é um ramo lotado disso. O trabalho acaba absorvendo um bom contingente de pessoas que não são qualificadas, mas que aprendem as primeiras lições do trabalho. Hotel precisa de camareira, por exemplo, você já viu faculdade disso? Ajudante de cozinha, limpeza, etc. Então, para algumas destas áreas, as empresas de hoteleiras têm seus próprios cursos para treinamento, com programas de formação que habilitam na carreira de hotelaria".

Portanto, ao mesmo tempo em que falta qualificação para mão-de-obra na base da empresa, indústria ou agronegócio, também existe um vazio quando se fala em empregos que exigem conhecimento mais exato, tecnológico ou ligados à infraestrutura do país. A resposta, nós já demos, é a educação.


Uma dica bacana de profissão a seguir é o de empreendedor, principalmente para o universo feminino. "As mulheres são ótimas empreendedoras", afirmou o profissional. "Quando eu me torno um empreendedor eu crio oportunidade de trabalhar. Quando eu digo que o céu é o limite é o exemplo do trabalho feminino. Desde alimentação a produtos de higiene, tratamento de pele, personal trainer e áreas de serviço em geral", declarou.

Portanto, anote aí na sua lista de possíveis sucessos futuros: empreendedorismo. Para ajudar, Luiz conclui: "Olha este lado da moeda e dentro disso procure franquia, que é uma boa maneira de começar. Quer ver só? Para abrir uma franquia é necessário R$ 6 mil em média. Então, venda um carro, por exemplo."

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente