Beleza conta no processo de seleção?

Beleza conta no processo de seleção

O candidato tem boa formação, cursos de atualização, fala outros idiomas, tem boa dicção, é antenado e se desempenhou bem no processo seletivo. Mas ele não é bonito ou não estava vestido como o selecionador esperava... E agora? Será a aparência pode ser decisiva no processo seletivo?

A consultora de Recursos Humanos da Catho Online, Gisele Ferreira, garante que não. "A boa aparência não é o fator determinante em uma entrevista de emprego. Ela, sozinha, não compensa a falta de conhecimentos e competências no mercado de trabalho", argumenta.

No entanto, a especialista lembra que se o candidato se apresentar, se vestir e se portar de acordo com a cultura da empresa ou do mercado ganha pontos durante o processo seletivo e no dia a dia do trabalho. "Um traje adequado pode passar uma imagem mais séria e causa melhor impressão aos selecionadores e demais candidatos", explica.

Para certos cargos a beleza é fator importantíssimo, como, por exemplo, vendedores externos, modelos, profissionais da área de eventos, entre outros. Mesmo assim, ela não é válida sem o conhecimento.

Com o intuito de saber como os selecionadores pensam, a Catho Online realizou este ano a pesquisa "A Contratação, a Demissão e a Carreira dos Executivos Brasileiros". Ao todo, 46.067 contratantes classificaram por ordem de importância 13 fatores de maior relevância nos processos seletivos. De acordo com os resultados, a beleza física nem foi citada:

Beleza conta no processo de seleção

Em compensação, o traje utilizado pelo candidato conta muitos pontos. A pesquisa revelou que selecionadores têm preferência por homens que usam terno preto, tenham cabelos curtos e não usem barba ou bigode. No caso das mulheres, a preferência e por aquelas que usam calça comprida e terninho, cabelos longos e presos e maquiagem leve.

Gisele Ferreira ressalta que uma primeira impressão positiva é essencial em um processo seletivo. "O profissional está sendo avaliado em todos os aspectos e tem pouco tempo para impressionar o selecionador. Entretanto, se o profissional não mostrar conhecimentos e competências, não irá conseguir sustentar a boa apresentação".


Outro ponto importante é que o conceito de boa aparência varia de acordo com a cultura da empresa. Em uma organização mais conservadora, a consultora de RH sugere o uso de um terno sóbrio. Já em uma mais moderna, jeans e camisa é mais usual. "Porém, de uma maneira geral, a mulher deve evitar decotes, transparências e lingerie aparentes. E os homens devem estar sempre com as unhas limpas e cortadas", diz.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente