As características de uma mulher líder

Para alcançar cargos de destaque, mulheres devem adotar algumas posturas
liderança-feminina

Independentemente da posição política, a permanência de uma mulher no mais alto cargo do executivo do país traz reflexões para as brasileiras. Para ocupar posições de liderança, seja a presidência do país ou um cargo de gerente, as mulheres devem aperfeiçoar algumas características que já têm e desenvolver outras. Confira quais são as mais importantes segundo segundo Cíntia Souza, sócia-fundadora e leader coach da MMP Coaching:

1. Conheça a si própria

O  primeiro passo para desenvolver outras habilidades. Saber o que limita a mulher e elencar seus pontos fracos e fortes é de grande importância para ser mais confiante e, assim, alcançar uma posição de destaque. “Ter certeza de si mesma é primordial para chegar à liderança”, afirma Cíntia.

2. Seja intuitiva

“Escutar aquela voz interior que toda mulher possui é muito importante, pois quem tem a resposta para ações de nossas vidas somos nós, não os outros”, ressalta Cíntia. Este é um ponto que, muitas vezes, é confundido com o que queremos muito quando vivemos uma situação passional.

 A leader coach explica que isso deve ser evitado. “É preciso tomar decisões com base na nossa intuição ponderando o lado emocional e o lado racional. Para saber separar as coisas, deve-se estar com a mente equilibrada”, explica ela.

3.  Saiba ser firme

O “não” nem sempre significa algo negativo e, quando se tem essa percepção, fica mais fácil dizê-lo.“Tem-se a ideia de que a mulher, por possuir sensibilidade mais aguçada, assume posturas menos firmes no trabalho. Daí a importância de negar quando a situação assim o exigir”, esclarece Cíntia. 

Por exemplo, se um funcionário pede aumento sem fundamentos práticos, apenas por conta de dificuldades financeiras ou apelos sentimentais, a líder deve recusá-lo. É necessário ponderar se a elevação do salário se traduz em resultados e competências.

4. Vença preconceitos

As mulheres líderes encontram preconceitos constantemente em seu dia a dia, mas precisam vencê-los com o poder que têm naturalmente, valendo-se de alta autoestima e ousadia. “Eu mesma tive que lutar contra isso.

 Já acreditei que, por ter apenas 1,50 m de altura, só seria respeitada em um cargo de liderança em cima de um salto 15”, conta a leader coach, que também ocupa função de sócia e gerente administrativa em outra empresa e garante que vai trabalhar de rasteirinha quando a situação permite.


Comente

Assuntos relacionados: liderança mulheres executivas