Aprendizado contínuo

Quando foi a última vez que você aprendeu alguma coisa? Você fez algum curso recentemente? Está lendo algum livro? Eu faço essas perguntas porque o nosso tema de hoje é aprendizado contínuo.

O que eu percebo com relação a esse assunto é que a maioria das pessoas é oito ou oitenta. Ou se importam demais ou se importam de menos com isso. De um lado estão aquelas que tiram um diploma, arrumam emprego e colocam o burro na sombra. Elas até que participam dos treinamentos que a firma oferece, mas não aproveitam grande coisa. Ainda não se convenceram de que, na profissão, o aprendizado tem que ser contínuo.

Não basta fazer uma faculdade, um curso de línguas e pronto. É preciso estar sempre se atualizando. A cada dia que passa surgem novas técnicas, novas práticas, novas idéias que chegam até a revolucionar o que existia antes. E não é só isso. O grau de exigência dos profissionais é cada vez maior. É preciso desenvolver novas competências e habilidades.

Será que você é da turma dos que se importam de menos com o aprendizado contínuo? Então mexa-se! Vá fazer um curso de reciclagem, uma pós-graduação, vá atrás das leituras que são importantes para a sua área profissional. Se você não se atualizar, atualizam você. Trocam você. Ou será que você é da turma dos que se importam demais com aprendizado contínuo?

Você é aquele profissional que se enche de cursos, de diplomas e idiomas porque deseja seguir as "tendências do mercado"? Você se obriga a fazer o que todo mundo está fazendo pra não ficar pra trás? Se sente até culpado de passar umas horinhas na frente da TV enquanto o mundo gera tanta informação? Depois reclama de estresse e falta de tempo, não é? Mas é lógico!

Você parece muito mais preocupado em acumular conhecimento por pressão externa do que por convicção interna. E também não é por aí. Gente, nessa questão do aprendizado contínuo não dá pra ser oito nem oitenta. Você não pode se acomodar, mas também não precisa se sobrecarregar. O equilíbrio está em saber o que é necessário pra você.

Defina qual é o seu objetivo profissional. Saiba quais são os pontos fracos que deve suprir e os pontos fortes que pode desenvolver. A partir daí, basta que você se acostume a fazer uma só pergunta: do que eu preciso pra me tornar um profissional mais completo? Está aí o seu melhor guia para o aprendizado contínuo.

Veja também:

Investir ou estudar?Colunista do Vila Sucesso e Vila Equilíbrio, Leila Navarro é palestrante motivacional e comportamental, além de ser empresária e Presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Capital Humano.

Comente