Aprenda passo a passo como montar um plano de carreira

Plano de carreira passo a passo

O plano de carreira tem por fundamento ajudar a colocar as pessoas nos trilhos do sucesso pessoal, profissional, familiar e comunitário. Ele facilita a programação do tempo necessário para alcançar determinados objetivos e avaliar se os conhecimentos e cursos são suficientes para a realização dos projetos.

Esse planejamento pode ser considerado um norte para o profissional. "Um método como esse pode não ser 100% detalhado, mas cria uma visão do futuro, dos valores associados e permite ter uma base para as decisões nos momentos de dúvidas. Também permite à pessoa definir como ela gostaria de ser vista como profissional", afirma a coach Susana Azevedo.

Fazer um bom plano de carreira é indicado quando o profissional:

- Ainda não definiu o que deseja na vida, qual a profissão, em que mercado vai trabalhar e quais cursos devem ser feitos;

- Perdeu o emprego por idade, por ter uma profissão que pode chegar ao desaparecimento ou que está com dificuldade para se colocar de novo no mercado de trabalho;

- Pretende se preparar para mudar de emprego;

- Está pensando em abrir seu próprio negócio ou sua empresa não está progredindo da forma almejada;

- Está prestes a se aposentar e não quer ficar parada.

É claro que cada um desses casos tem suas variáveis individuais, mas é de suma importância que se faça o plano com total atenção e, se possível, procurar uma profissional que ajude a elaborar o plano.

Conheça o passo a passo para criar um plano de carreira:

Passo 1: reflita sobre o que você deseja, escolha a profissão ou área do mercado que você quer trabalhar. Nesse momento é importante que você leve em conta o que mais te agrada, quais são as suas preferências. Faça pesquisa sobre profissões, leia revistas especializadas e até converse com profissionais da área. O primeiro passo deve ter total atenção, porque é baseado nele que você vai criar o seu plano. Depois defina um objetivo mais específico: "Me tornar executivo de uma multinacional", "Ser uma empreendedora de sucesso".

Passo 2: em relação ao objetivo final faça uma análise sobre o que será necessário para alcançar a meta: Que tipo de curso eu preciso? Quais experiências profissionais me trarão os aprendizados necessários? Através dessas respostas você terá a base do plano e o que deve ser feito.

Passo 3: é nesse momento que você deve começar a dar prazos para as metas: "até 2013 aprender o inglês necessário para as reuniões internacionais", "procurar cursos que me façam perder a timidez e o medo de falar em público."

Passo 4: tenha o seu plano de carreira sempre em mente e faça as mudanças sempre que achar necessário ou preciso. O mundo muda o tempo todo e os sonhos também estão sujeitos a alterações e adaptações.

O plano de carreira funciona desde que o profissional seja disciplinado, tenha determinação, paciência e abra mão das facilidades para alcançar seus objetivos. Os funcionários que criam um plano de carreira se tornam mais focados, agem mais rápido, têm mais dedicação, buscam mais conhecimentos e trabalham melhor em equipe.

É importante que as empresas também tenham um plano de desenvolvimento para seus próprios funcionários, assim eles saberão quais são as possibilidades de crescimento. "O plano se torna motivacional para os trabalhadores. É importante que ele demonstre a estrutura organizacional, identifique cada cargo ou atividade", comenta o consultor Sidney Aguiar.


Susana afirma também que as pessoas cometem erros no plano de carreira quando tentam definir todos os detalhes ou não o levam em conta na hora de tomar decisões importantes. Também atrapalha ter apenas um plano operacional, sem ter em mente quem a pessoa é, quem quer se tornar, quais os seus valores e também qual o legado que no fim deseja deixar.

"Estes fatores ajudam o plano a ser mais sólido, sem deixar de ser flexível para que a pessoa seja o profissional que tanto almeja. O ideal é fazer uma revisão regular dessas metas e objetivos e do seu alinhamento com a realidade e com a evolução de crenças internas e expectativas."

Por Flávia França (MBPress)

Comente