8 atitudes para não ser uma esquecida na multidão

8 atitudes para não se mais uma

Escrevo essa matéria sob o impacto da morte de Steve Jobs, o legendário empresário norte-americano, o fundador da Appel.

Muito se propaga sobre a genialidade de Jobs em conduzir a Apple ao primeiro lugar nos quesitos: inovação tecnológica e conceito de produto. Fala-se muito também sobre sua capacidade empreendedora, sua coragem para encarar o fracasso inicial na própria Apple, com uma retumbante demissão (período no qual dedicou sua veia empreendedora para fundar a Pixar, a partir da aquisição de uma empresa falida).

Sem sombra de dúvida uma lenda para o empreendedorismo. Mas ao acompanhar a cobertura sobre seu falecimento, lendo e escutando os discursos que realizou para estudantes e outros públicos, penso que consegui extrair o que chamaria de um "DNA", ou seria uma linha mestra de conduta exclusivamente inclinada para aqueles que desejam fazer algo de especial com suas vidas.

Desta forma, expresso abaixo com as minhas palavras, aquilo que consegui compreender a partir do legado comportamental do mítico empresário:

1) Não se iluda, as pedras do caminho surgirão. Muito mais importante do que o batido blá, blá, blá sobre aprendizado e superação, entenda que se desejar um lugar ao sol deve estar preparada para persistir, e prosseguir com o que lhe restou de confiança e recursos por um bom período, antes de ver a luz ao final do túnel.

2) Seja original, sem ser iludida. Saiba reproduzir de forma rentável e aplicável aquilo que de alguma forma já funciona, mas aos poucos construa o seu espaço próprio, os seus conceitos, o seu produto ou serviço;

3) Tenha e cultive a sua personalidade. Saiba fugir do senso comum e, sem perder o sendo crítico, mas convicta de seus argumentos e conceitos, tenha a coragem de pensar por conta própria e defender com fervor suas crenças, sem se preocupar em ser aceita ou com "narizes torcidos", comentários depreciativos, ou risadas sarcásticas.

4) Se deseja inovar, esteja preparada para toda a descrença que originalmente surgirá ao seu redor;

5) Trabalhe com foco no realizar, que significa em termos empresariais construir algo que se sustente economicamente, mas menos preocupada com os ganhos financeiros imediatos que podem migrar para o seu bolso;

6) Não se apegue aos modismos de gestão. Desenvolva um estilo próprio, sem se importar com o aval dos "especialistas", e caso conclua que em determinado momento ou estágio é necessário ser controladora ou centralizadora, simplesmente haja como tal e ponto final;


7) Não perca tanto tempo na busca de reconhecimento ou da percepção alheia sobre sua luta empresarial. Isso raramente acontecerá, e saiba desde já que erguer um negócio lucrativo e inovador, que confronta padrões pré-estabelecidos e conceitos vigentes, trará desafetos, inimigos, detratores e muitas críticas antes de dar certo.

Por último, sugiro aprender a lidar com a solidão.

Até a próxima!

Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial, empresa que atua como uma agência independente na produção de conteúdo e informação.

Comente