5 dicas para transformar um emprego temporário em efetivo

Transforme o temporário em efetivo

Foto: Daniel Koebe/Corbis

Faltam menos de três meses para o Natal e muitas lojas e empresas já contratam profissionais para suprir as demandas de vendas de fim de ano. Estima-se que sejam abertas cerca de 155 mil vagas de trabalhos temporários em todo país. O número é 5,5% maior comparado ao mesmo período no ano passado, que registrou a abertura de 147 mil vagas.

Essa projeção faz parte de um levantamento encomendado ao Ipema (Instituto de Pesquisa Manager Ltda) pela Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário) e pelo Sindiprestem (Sindicato das Empresas Prestadoras de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário do Estado de São Paulo).

Uma boa notícia para quem está desempregado e precisa conseguir uma graninha para realizar as compras de fim de ano. Mas, acima de tudo, é também uma oportunidade de transformar o trabalho temporário em permanente.

De que maneira? Empenhando-se no desenvolvimento das tarefas, como explica o consultor em Gestão de Pessoas, Eduardo Ferraz: "O profissional que deseja ser efetivado por uma empresa, precisar lembrar que o tempo é curto e que, portanto, ele tem apenas este período para se destacar".

É importante que o candidato tenha disposição e interesse em aprender de maneira rápida, já que não há muito tempo para treinamentos. "A pessoa que mostra competência, rápida aprendizagem e gosta do que está fazendo, sempre vai produzir mais e chamará a atenção da empresa, que pode efetivá-la ao término do contrato", descreve Ferraz.

Para ele, diversos são os motivos que impedem muitos profissionais de conquistar uma efetivação: "Dentre as cinco primeiras razões, três estão relacionadas a atitudes ruins. Ou seja, não adianta a pessoa ter um ótimo currículo, mas ter péssimo relacionamento com o grupo ou falta de dinamismo ou inaptidão para a função", informa. "Por isso, é preciso atenção ao comportamentos dentro do ambiente de trabalho", completa.

Além disso, Eduardo afirma que as pessoas com pouca inteligência emocional têm um autoconhecimento limitado e esse é o maior problema, pois têm dificuldades em avaliar o impacto que seus comportamentos causam no ambiente. "Mau humor, reclamações e fofocas são muito mal vistos. A pessoa acaba afetando negativamente o ambiente de trabalho e, por consequência, diminuindo suas chances de efetivação", alerta o consultor.

Autor do livro "Vencer é ser você", Ferraz também salienta que a falta de comprometimento com os horários estipulados pela empresa é um fator que contribui para a não contratação, após o término do período: "Dedicação, pontualidade e disciplina chamam a atenção de superiores".

Se você não quer correr o risco de ficar desempregado ao término do contrato, confira algumas dicas de Eduardo Ferraz:

1- Invista mais tempo em seu autoconhecimento: tudo o que uma pessoa conseguiu até agora e tudo o que espera conseguir é muito influenciado por sua personalidade. Não seria exagero afirmar que ela é seu patrimônio mais importante. Portanto, é extremamente importante se conhecer bem.

2- Não force sua natureza: apesar de a personalidade adquirir alguma maleabilidade com o passar dos anos, sua base continua sendo a mesma durante toda a vida. Não é bom negócio ficar anos correndo atrás de algo que você sabe que não leva jeito. Por exemplo: se você é tímido, não lute contra isso, apenas administre. Provavelmente sua praia não é lidar com o público. Mas se você é extrovertido, certamente, trabalhar fechado num escritório será uma tortura.

3- Identifique seus pontos fortes: ser exigente ou desconfiado, perfeccionista ou ter qualquer comportamento que, socialmente, é visto como inadequado, pode se tornar um ponto forte se você o utilizar na carreira certa. Ser desconfiado pode ser um talento, por exemplo, se a pessoa trabalhar como auditor.

4- Posicione-se onde você rende mais: procure trabalhos onde você possa utilizar seus principais pontos fortes na maior parte do tempo.

5- Mostre dedicação: apenas um em cada três temporários torna-se efetivo. Para ser um deles você tem apenas alguns meses para mostrar serviço. Dedique-se, faça o máximo e mostre o seu melhor desempenho.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: emprego dicas conseguir emprego efetivo