10 atitudes profissionais que você deve evitar

Atitudes profissionais

Foto: Hybrid Images/cultura/Corbis

Cara leitora, desta vez o foco do nosso texto é você mesma: suas atitudes, suas reações e posturas diante dos diversos cenários que se apresentam ao longo do trajeto.

Seja você uma empresária - pouco importa se grande, média, pequena ou minúscula - , uma profissional liberal, ou quem sabe uma executiva que tenta empreender dentro do seu emprego, saiba que poucas coisas são mais determinantes do que o seu próprio comportamento diante de oportunidades, desafios e adversidades.

Portanto, ao invés de perder o seu tempo inventando desculpas ou se esquivando da realidade, observe abaixo alguns perfis comportamentais absolutamente destrutivos, e avalie se para alguns deles (eventualmente para todos) não será necessário vestir a carapuça.

Eles são a antítese do que se espera de uma liderança ou atuação profissional construtiva, eficiente e corajosa.

Vamos lá:

1. Você é extremamente vaidosa, e está muito mais preocupada em exercer poder e gozar do seu status profissional do que dedicar tempo e talento para construir e edificar projetos, negócios e sonhos;

2. Você anuncia a sua magnânima postura aberta e liberal para escutar críticas e opiniões divergentes, mas na verdade, na vida como ela é, ao escutá-la dos crédulos colaboradores finge aceita-las, mas no fundo não consegue digerir tamanha ousadia. Ato contínuo, passa a desautorizar, restringir acessos e eventualmente a perseguir o rebelde. Em casos mais amenos, apenas o fato de ter sido questionada já é precedente suficiente para azedar a sua relação de confiança;

3. Você opera de forma desorganizada. Traveste isso de atitude criativa 2.0 (ou poderia ser 3.0, 4.0...), mas na realidade a sua atuação é uma verdadeira e caótica bagunça, por pura falta de senso de organização;

4. A sua confiança e o seu otimismo no futuro da empresa atingem níveis patológicos. Com isso, você se fecha para os pensamentos divergentes que contrariem o senso comum de bonança e com isso vai fragilizando o senso crítico tão importante para as inevitáveis correções de rota que qualquer empresa precisa enfrentar;

5. Você não executa aquilo que prega, e não sabe (ou não tem coragem) de assumir responsabilidades.

6. Diante de injustiças internas a sua atitude é a omissão. Com isso evita conflitos, e dores de cabeça, mas joga toneladas de problemas para baixo do tapete;

7. No lugar da objetividade e da assertividade concreta, você privilegia o comportamento performático, onde frases de efeito e afirmações do senso comum (desprovidas de qualquer crítica) passam a dominar o ambiente;

8. Você opera sem planejamento e advoga por uma atuação caótica e sem qualquer organização da sua equipe;

9. Você não é clara ao dizer o que deseja, em apontar o que está errado, em elogiar o que foi bem feito. No lugar disso, a tangente;

10. Você não sabe reconhecer os seus próprios erros e equívocos, e eventualmente, sorrateiramente, passo a passo, descarrega a responsabilidade deles nos seus colegas, colaboradores ou subordinados;


É isso minha cara, é possível que ao ler os dez itens não tenha observado nenhuma relação com sua atitude profissional, mas não se engane em pensar que perfis que reúnam algumas (ou quase todas) destas características comportamentais sejam raros.

Contudo, caso seja corajosa o suficiente para colocar a carapuça e assumir que tipo de profissional você realmente é, tenha a certeza de que 50% do caminho para a sua redenção já foi percorrido.

Até a próxima!

Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial, empresa que atua como uma agência independente na produção de conteúdo e informação.

Comente

Assuntos relacionados: carreira trabalho profissão