Textura para paredes: dicas para não errar na hora de decorar

Dicas para obter um resultado incrível sem deixar o ambiente pesado
parede com textura

Foto - Reprodução/uol

Quem deseja diferenciar a decoração das paredes da sala ou dos quartos, geralmente investe nas cores diferentes e principalmente nas texturas. Isso porque a texturização é versátil, combina com diversos ambientes e, em alguns casos, pode ser feita sem a ajuda de um profissional. 

Mas para decorar o ambiente com bom gosto é preciso saber usá-las para que o espaço não fique sobrecarregado. O arquiteto parceiro da Pincéis Atlas, Carlos Eduardo Chitão, do escritório DLP Arquitetura, dá algumas dicas importantes para quem vai aderir ao método das texturas.

Confira: 

parede com textura

Foto - Reprodução/maxresdefault

Avaliação dos cômodos

Segundo Carlos Eduardo, na maioria dos casos, a textura não é indicada para cozinha e banheiros, pois pode dificultar a limpeza do local. “É permitido usar texturas em todos os cômodos da casa, porém as áreas que recebem melhor este recurso são sala, corredores, quartos e fachadas”.

Além disso, como existem diversos tipos de texturas (de massa, de rolo, papéis de paredes texturizados, tecidos etc) é preciso sempre verificar com o arquiteto qual o tipo que se adequa melhor ao local e aos móveis que compõem o ambiente.

Escolha da cores

É preciso tomar cuidado na escolha da cor que será aplicada na textura. O ideal é sempre optar por cores mais suaves na parede onde a textura é aplicada.

“Se for usar textura, o melhor é utilizar cores mais neutras. A cor muito forte, quando aplicada em uma parede com textura, costuma carregar o ambiente, deixando-o com muita informação visual”, garante Carlos.

Alinhar texturas com móveis

É sempre interessante buscar um equilíbrio na utilização das texturas. Segundo o arquiteto, uma maneira de fazer isso é buscar o alinhamento entre textura, cores e mobiliário.

“Quando nossos olhos passam pelo o ambiente, o nosso cérebro, inconscientemente, define se achamos aquele local bonito ou não, carregado ou não. Por isso o equilíbrio na composição é fundamental”.

Se os móveis têm muita personalidade e serão a atração principal do cômodo, as cores das pinturas e texturas devem harmonizar com eles. O contrário também deve acontecer. Um cômodo com móveis mais neutros permite uma textura mais ousada.

Pronta para repaginar a casa?

Por Thamirys Teixeira

Comente