Prótese Capilar para quem sofre com queda de cabelo

Prótese Capilar

Divulgação

A beleza de um rosto consegue se destacar ainda mais se estiver aliada a um cabelo bonito, em sintonia, emoldurando os traços. E muitos dos que sofrem com queda de fios (por razões que podem ser hormonais, hereditárias, estresse ou tratamentos médicos, como quimioterapia) tentam de tudo para garantir a aparência - e os cabelos no lugar.

Quem perdeu os cabelos pode optar pela prótese capilar. Diferentemente do que muitos pensam, a prótese capilar não é sinônimo de peruca. “Ela possui uma pele sintética, implantada com cabelo natural, que imita a pele humana”, explica Norberto Raul Levin, diretor da GIC International Hair. Ele explica que é possível identificar a peruca de longe - mas o tal implante não-cirúrgico é indefectível.

A diferença entre a peruca e o implante está basicamente no modo de confecção. A peruca possui uma tela grossa, que esquenta o coro cabeludo, enquanto a prótese mantém a mesma temperatura - e não coça. Essa distinção acontece porque a prótese é feita de poliuretano, que não causa alergia. Os fios de cabelos naturais são implantados um a um nessa “pele” que tem espessura e transparência semelhantes as da pele humana.

Prótese capilar

Divulgação

Outro beneficio do implante é que, com ele, a pessoa pode fazer tudo o que faria com um cabelo natural: tomar banho, entrar no mar e até fazer penteados. Tudo seguindo os cuidados receitados pelos profissionais, claro. “A prótese é fixada na cabeça com cola cirúrgica, fazendo com que a pessoa não se preocupe se o cabelo vai cair ou danificar”, afirma Norberto.

Entretanto, ele alerta que o cabelo precisa de manutenção e certos cuidados, como produtos especiais para não estragar os fios, e manutenção a cada três ou quatro semanas. A GIC International Hair ministra cursos direcionados aos cabeleireiros para que seus clientes possam encontrar profissionais aptos a cuidar das próteses.


A manutenção consiste em retirar a prótese, higienizar o couro cabeludo, lavar a prótese, hidratar os fios e voltar a colar.

Quem costuma procurar a prótese capilar como alternativa são pessoas com todo tipo de calvície ou doença que faça o cabelo cair. Pacientes que fazem quimioterapia também procuram o recurso. “A satisfação da possibilidade de ter cabelo novamente e seguir uma vida normal é comum a todos”, ressalta Norberto.

Além da manutenção da prótese, é necessário trocar o “implante” a cada quatro ou seis meses, pois ela vai se modificando com o passar do tempo. O escritório da GIC International Hair no Brasil atende pelo (11) 3141 0736 e tem um vasto acervo de diferentes próteses, mas quando o cliente não encontra a combine com o sei perfil, o trabalho é feito sob medida e entregue em 60 dias. O preço de cada prótese costuma variar, mas custam a partir de R$ 1200.

Por Cínthya Dávila (MBPress)

Comente