Explicações sobre calvície feminina

Explicações sobre calvície feminina

Calvície feminina é um problema que só da gente pensar já sente arrepios, afinal de contas ninguém discute a importância social do cabelo para as mulheres. A dermatologista, pós graduada em medicina estética, Andrea Nasi, ministrou uma palestra sobre o assunto ontem durante o congresso de Tricologia na Beauty Fair.

Ela conta que às vezes fica um pouco complicado a mulher perceber as primeira falhas, afinal a calvície feminina não é igual a masculina. O mais comum é a mulher perceber que o cabelo está caindo muito e então procurar um profissional. "É muito raro as mulheres terem entradas como os homens, o que normalmente acontece é o aparecimento de falhas. A linha que divide o cabelo pela metade começa a abrir, vai formando uma clareira. Quando não se consegue delimitar a linha média é porque a situação é grave."

Andrea explica que as causas mais comuns para queda de muitos cabelos são: antecedente familiar, regimes muito pesados (a mulher fica com deficiência de ferro e zinco o que faz com que os cabelos fiquem fracos) e pós parto. Nesse ultimo não há motivo para desespero. "Durante a gravidez o cabelo para de cair, depois pode acontecer de cair muito. Mas isso não significa que a mulher possa ficar careca".

Tratamentos

As opções de tratamento são bastante variadas. A médica explica que o primeiro passo é submeter a paciente a diversos exames para saber qual doença está causando a queda de cabelo e então, se algo for diagnosticado, tratar a causa do problema. "O problema pode ser efeito de outra doença que se não for tratada o cabelo não vai crescer".

Se não houver nenhuma doença por trás do problema ou então ela já tiver sido controlada, começa o tratamento para o cabelo crescer que são feitos na seguinte ordem: tratamento tópico (aplicação local de remédio); oral; injetável, laser e por último cirúrgico. Começa com o mais simples e, caso não resolva, vai chegando aos mais agressivos. "O laser só utilizamos para doenças inflamatórias, ele serve para tirar a inflamação".


Já no caso do procedimento cirúrgico, também conhecido como transplante, ele só é usado quando nada deu resultado. "Tiramos fios de baixo e implantamos em cima. Vale lembrar que a resposta ao tratamento é lenta. Primeiro para a queda e só depois, de forma bem lenta, o cabelo começa a crescer", conclui a dermatologista.

Por Larissa Alvarez

Comente