Cuidados com cabelos crespos

Cuidados com cabelos crespos

Quem tem cabelos crespos sempre recorre a algum tratamento para mudar a estrutura dos fios, seja para alisar ou domar o volume. Antes de escolher a técnica mais adequada com o seu cabeleireiro de confiança é importante prestar atenção aos produtos usados por estes profissionais.

Claudia Ardessore, cabeleireira do L'Officiel III, em São Paulo, indica solicitar o rótulo do produto, este deve estar com o selo da Anvisa. Atenção também aos produtos manipulados. Alguns profissionais chegam a modificar a composição deles.

“Além disso se o cabelo não for natural ou ela quer usar um novo método para alisar é fundamental fazer um teste para verificar se a estrutura do cabelo receberá bem a química. Nós aplicamos o produto em uma mecha do cabelo e se ele arrebentar com facilidade, e também ao puxá-lo, é melhor buscar outra alternativa”, explica.

No caso do relaxamento, feito quando se quer um efeito mais suave, apenas para reduzir os volume, principalmente na raiz, Claudia afirma que ele pode ser combinado com tinturas e tonalizantes. E nunca com descolorante que contém água oxigenada.

A profissional explica que no caso do alisamento japonês ou escova definitiva - método que levanta as escamas (cutícula), age no fio e as fecha para bloquear o produto - a descoloração nunca é usada. O alisamento é mais agressivo ao cabelo e apenas sai se eles crescem ou são cortados. “A gente brinca: ou você é loira ou tem cabelo extremamente liso. No máximo utilizo apenas algumas mechas, algo bem sutil”, acrescenta.

Roseane Góes, cabeleireira do C.Kamura, em São Paulo, alerta sobre a guanidina em alisantes. Cabelos que passaram por esta química não podem receber tinturas tampouco água oxigenada ou fazer reflexos. “Produtos com amônia, chumbo ou outro alisante, como o tioglicolato, nunca, somente dá para colorir com tonalizantes ou colorações sem amônia”. No caso do tioglicolato, a profissional apenas usa coloração (tintura) até dois tons a partir da cor natural do cabelo. “E somente depois de uma avaliação, o teste de mechas”.

Outra recomendação de Roseana é dar um intervalo de três a quarto semanas entre os procedimentos, quando é possível associá-los. É uma forma de não carregar a fibra e correr o risco de ter fios quebrados, sem brilho e elasticidade. “Uma boa cauterização ou reconstrução pode auxiliar neste intervalo porque devolve os nutrientes dos cabelos”, indica.

Para manter os cabelos em dia, a cabeleireira do L'Officiel III recomenda fazer uma hidratação no próprio salão a cada trinta dias. “Diferente do que acontece em casa, os cabeleireiros abrem as cutículas e deixam o produto penetrar no fio”, explica.

Outra recomendação é sempre cortar as pontas porque elas costumam ficar bastante danificadas. E proteger os cabelos do sol com chapéus ou bonés. “Existem excelentes produtos com protetor solar especialmente para os cabelos. Na hora de lavá-los, a água deve estar morna ou fria, do contrário os fios ficam ainda mais ressecados e sem vida”.

Quem tem cabelo crespo costuma usar vários tipos de cremes, sem retirar o produto adequadamente, achando que dessa forma eles vão ficar hidratados por mais tempo. A cabeleireira afirma que isso é um hábito errado porque entope os folículos, o que contribui para a queda dos cabelos. “É melhor usar cremes de pentear sem exagero, podendo ser substituído por um mousse ou ativador, mas nunca use o condicionador no lugar do creme sem enxágüe”, finaliza.


Cuidados na escolha do melhor método assim como um bom profissional, associados a uma boa manutenção em casa, vão garantir que seus cabelos mais lisos, com efeito natural, sem surpresas desagradáveis no meio do caminho.

Por Juliana Lopes

Comente