Conheça os riscos do uso indevido do formol

Conheça os riscos do uso indevido do formol

Mulher adora estar em dia com a beleza. Depilação, fazer as unhas, aguentar o calor do secador, mas é preciso cuidar para que sacrifícios não se tornem riscos. O procedimento que tem feito a cabeça das mulheres no Brasil há alguns anos é a escova progressiva. Tem de chocolate, açúcar, morango e até de ouro. Apesar de deixar as madeixas lisas, realizando o sonho de onze entre dez mulheres, a progressiva pode esconder um grande perigo: o formol.

Formol é um composto químico usado em diversos produtos e processos, como na fabricação de preservativos, sedas artificiais, tintas, corantes, espelhos e até explosivos. Pasmem meninas, o formol também é utilizado para embalsamar cadáveres, já que tem a função de conservar os materiais. Nos cabelos, é o que mantém os fios lisos.

De acordo com o dermatologista Francisco Le Voci, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e coordenador do Ambulatório de Cabelos da Faculdade de Medicina do ABC, muitos são os males provocados pelo uso errado do formol. "São várias e graves as reações, inclusive câncer e óbito", alerta. Entre as principais reações adversas estão aquelas resultantes do contato com a pele (irritação, vermelhidão, dor e queimaduras) e com os olhos (irritação, vermelhidão, dor, lacrimação e visão embaraçada). "Altas concentrações causam danos irreversíveis".

É importante ressaltar que não é preciso que a química entre em contato com a pele para ser prejudicial. O formol pode causar problemas mesmo sem contato direto com o corpo, já que é também encontrado em estados físicos como vapor e gás. "A inalação pode causar até câncer no aparelho respiratório, tosse, diminuição da frequência respiratória, irritação. Pode ainda causar edema pulmonar e pneumonia. Vale destacar que pode ser fatal em altas concentrações" ressalta o médico.

O risco do uso indevido de formol certamente é muito maior para os profissionais que lidam com este produto quase diariamente. "A exposição crônica, frequente ou prolongada pode causar hipersensibilidade, levando às dermatites, reação alérgica, debilitação da visão e aumento do fígado", afirma Francisco, que também membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgias Dermatológicas. Normalmente os salões de beleza são locais pequenos e com pouca circulação de ar, o que acaba aumentando a concentração de formol no ar.

O risco é tão grande que a Anvisa proibiu a comercialização do produto em farmácias, perfumarias e supermercados a fim de coibir o uso indevido. Há marcas que têm a autorização da Agência para comercializar artigos que contenham formol, mas a permissão foi concedida por que a exigência de concentração mínima foi acatada. "Ainda que os cremes obedeçam às normas da Agência, não deve ser usado. A manipulação incorreta da química, por um profissional mal preparado, por exemplo, pode causar sérios danos à saúde", pondera Francisco. Como opções ao formol existem a guanidina, hidróxido de sódio e tioglicolato de amônio, todos licenciados pela Anvisa.


Algumas dicas são importantes na hora de fazer a bendita progressiva: fique atenta ao odor do produto. Ser tiver um cheiro muito forte e o profissional ligar ventiladores de ar durante a aplicação, desconfie. Exija ver o rótulo do produto. Nele deve conter o selo da Anvisa, que é a sua segurança. E procure, sempre, salões de sua confiança.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente